Em meio à toda a polêmica em torno da mudança do currículo do ensino médio, uma atitude de um estudante está levando revolta à internet. De acordo com informações do site da revista Veja, em reportagem publicada nesta sexta-feira, 23, um aluno da Escola Municipal de Ensino Fundamental Altino Arantes, na Zona Leste de São Paulo, tomou uma atitude considerada bizarra. Ele teria arremessado um porta-lápis na vice-diretora da instituição. A profissional da educação foi identificada como Shirlei Maia. O episódio teria acontecido na última segunda-feira, 18. 

Uma página do Facebook chegou a dizer que a vice-diretora teria sido violentada com tesouradas por um ano de oito anos.

Publicidade
Publicidade

No entanto, a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Ensino de São Paulo, confirmou que houve sim um objeto tacado na mulher, mas que esse seria um estojo. Além disso, o estudante não teria a intenção de machucar a docente. De acordo com a secretaria, a professora necessitou sofrer atendimento imediato no local. Os pais do menino foram chamados até à escola, onde descobriram tudo o que ocorreu. 

A família da professora disse que ela preferia não comentar o caso. 

Nesta semana, uma proposta ainda feita durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), acabou criando grande confusão e discursos na internet: a reforma do ensino médio. O texto que ainda precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional estabelece que agora as aulas serão em tempo integral, chegando a sete horas por dia.

Publicidade

Além disso, disciplinas como artes e educação física deixam de ser obrigatórias.

O aluno também poderia escolher por qual área de conhecimento pretende ir, fazendo um compilado de disciplinas. As únicas que continuariam obrigatórias são português, matemática e inglês. O motivo para que o texto corra logo para ser votado, de acordo com o Ministro da Educação, Mauro Mendonça, é que as pesquisas mostram que a qualidade do ensino tem piorado, mesmo com o investimento na área tendo aumentado.  #Crime #Investigação Criminal