Os ouvintes da rádio 103 FM, de Aracaju (SE), tomaram um grande susto na noite do último sábado, 10, enquanto ouviam a transmissão da rádio. Enquanto escutavam a programação da emissora, por volta das 19h, uma voz foi ouvida ao fundo gemendo e chorando. Tratava-se da locutora Iocema Santos que, desesperada, tentava avisar aos ouvintes que um #assalto estava em andamento na rádio. A voz da locutora se misturava com a música e com seu próprio choro, causando grande angústia em quem estava ouvindo a rádio. Ouça o áudio, conforme ele foi ao ar, ao final da matéria.

"Deus, pelo amor de Deus gente, por favor, alguém tá ouvindo a gente aí? (choro) Alguém tá ouvindo a gente aí? Por favor, polícia! Por favor, polícia! Levaram tudo, gente, levaram tudo da gente aqui.

Publicidade
Publicidade

Eles estão aqui na porta! Eles estão aqui na porta de novo! Gente, por favor, eles estão aqui dentro da rádio!", disse, com voz de desespero. Uma outra voz aparece no áudio, desta vez de um homem, igualmente nervoso. "Quem puder nos ajudar, ajude", disse.

De acordo com o site Bocão News, toda a ação durou apenas quatro minutos. Cinco bandidos, todos armados, apontaram um revólver para a cabeça do porteiro e o obrigaram a permitir o acesso da quadrilha. Dentro da rádio, o grupo arrombou a sala de administração e levou celulares, o notebook da locutora e dinheiro. De acordo com o portal G1, os homens foram bastantes violentos e chegaram a dar coronhadas no porteiro e ameaçaram matar todos os presentes. Até o momento ninguém foi preso.

Ouça o pedido de ajuda da locutora:

Câmeras de segurança gravaram a ação do bando.

Publicidade

Os homens, com roupas cobrindo o rosto, apontam armas para a locutora, que entrega o notebook. Assista:

Os ouvintes da rádio relataram em redes sociais que chegaram a ligar para a polícia, no telefone 190, mas que não conseguiram falar com os atendentes. "Desespero aqui em casa. Ligar para o 190 e ouvir que todos os atendentes estão ocupados chega a ser cômico, caso não fosse trágico", desabafou o ouvinte Chico Júnior. #Casos de polícia