Os advogados do #Ex-goleiro Bruno tiveram uma boa notícia nesta quarta-feira (21), após uma decisão do Tribunal de #Justiça de Minas Gerais aceitar analisar um recurso contra a expedição da certidão de óbito da modelo #Eliza Samudio. Isso aumentou em muito as expectativas para que Bruno seja solto.

Essa anulação já tinha sido pedida no ano de 2013, mas foi negada pela juíza Marixa Rodrigues, da cidade de Contagem, em Minas Gerais. Se a anulação da certidão se confirmar, o julgamento de Bruno poderá ser anulado e ele solto.

O advogado Lúcio Adolfo solicitou essa anulação há três anos, assim que o mesmo foi emitido pelo Cartório de Registro Civil de Vespasiano, a pedido da juíza Marixa.

Publicidade
Publicidade

Lúcio afirmou que Marixa não tinha competência para tomar essa decisão, e hoje a justiça reconheceu isso. 

Segundo a certidão, Eliza teria morrido no dia 10 de julho de 2010, vítima de 'emprego de violência aplicada na forma de asfixia mecânica (esganadura)'. Baseado no primeiro julgamento do ex-goleiro, a certidão traz até onde teria ocorrido a morte da mesma, que seria o endereço do ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola. Veja a certidão na galeria de imagens. 

Segundo o Tribunal, a juíza autorizou a expedição da certidão, em janeiro de 2013, acatando um pedido do promotor Henry Vagner Vasconcelos e também da mãe da modelo. Eles se basearam na decisão do júri do julgamento de Macarrão, que consideraram que a modelo havia sido realmente assassinada.

Segundo o TJMG, foi concedido o pedido sob a justificativa de que essa decisão criminal poderia ser executada no âmbito civil para se reparar os danos, ou mesmo para resguardar os direitos de Bruninho, filho da Eliza.

Publicidade

Os advogados de Bruno entraram com recurso na época, mas os mesmos foram negados pela juíza Marixa.

Nesta quarta foi julgado esse novo pedido para anular a certidão de morte da modelo, e os desembargadores Doorgal Andrada, Corrêa Camargo e Eduardo Brum concluíram que o recurso pedido pela defesa não poderia ter sido negado. Foi determinado que o processo do recurso será avaliado pela 4ª Câmara Criminal em uma data a ser definida.

Essa decisão aumenta as esperanças para que o goleiro Bruno seja solto. O advogado do mesmo acredita que ele sairá da prisão nos próximos dias. O pedido de Habeas Corpus foi feito há três meses, e nele foi solicitado que o goleiro possa ficar em liberdade ou mesmo trabalhar fora da cadeia. Segundo o advogado Lúcio, a decisão de hoje ajudará no julgamento do pedido de habeas corpus.