Na noite deste sábado, 10, um coronel reformado da Polícia Militar, de sessenta e dois anos, acabou sendo preso. Ele é acusado de ter estuprado uma menina de dois anos. Um vídeo publicado na internet está gerando revolta e mostra o momento em que os policiais chegaram ao local onde o estupro estaria acontecendo. Ao chegar até o veículo do agente da lei, os PMs encontraram uma criança de dois anos nua. A Polícia Civil, que agora investiga o caso, revela que o Coronel da PM ofereceu vantagens aos agentes para que o #Crime ficasse impune. No entanto, os profissionais de segurança decidiram não aceitar a proposta e o prenderam. 

Quem está cuidando do caso é a delegada Carolina Martins, que trabalha na Central da Cidade da Polícia.

Publicidade
Publicidade

Segundo ela, o homem foi autuado em pleno flagra e vai ter que responder à corrupção ativa e estupro de vulnerável. Após ser visto dentro do veículo com a criança, o criminoso foi levado para uma unidade especial localizada em Niterói. Os responsáveis legais da criança também devem ser acionados.  Mesmo assim, a criança foi entregue a eles. De acordo com a delegada do caso, eles serão chamados para uma entrevista e serão questionados se sabiam da violência sexual que a menina estava a sofrer. Os agentes que realizaram a prisão do Coronel são do 22º Batalhão de Polícia.

Segundo a investigação, cópias do vídeo feito pelo celular e que foram divulgados na web, devem ser encaminhadas para o Conselho Tutelar. O objetivo agora é entender como a criança foi parar nas mãos do Coronel. Por enquanto, outros dados sobre a ação não vão ser divulgados, de modo que não venham atrapalhar a investigação.

Publicidade

O que se sabe até agora é que os agentes chegaram até ao local depois de receberem uma denúncia que partiu de Ramos. Ao chegar ao local, eles constataram que o acusado continuava no carro indicado com a criança, ainda sem roupa. 

A partir do momento que os agentes pediram explicações, o Coronel solicitou que o caso fosse encerrado. Ele agora responderá pela justiça comum e pela militar.  #Investigação Criminal