Na quinta-feira, dia 1°, no Distrito Federal, algo macabro aconteceu, uma tragédia que chocou muita gente. Duas jovens, Letícia Ibiapino e Nicoly Santana, uma de 14 e a outra de 15 anos, foram encontradas carbonizadas na zona rural da cidade de Santa Maria, dentro de um buraco. Junto com elas, estavam roupas íntimas e cadernos escolares.

A área onde os corpos foram achados é conhecida como ‘alagados’, um local muito frequentado por usuários de drogas e utilizado para desova pelos criminosos. Quem as encontrou foi um chacareiro que reside na região. Ele andava a cavalo pela mata quando percebeu a presença de urubus sobrevoando o local onde elas estavam.

Publicidade
Publicidade

Ao pensar que se tratava de um animal morto, ele foi até o buraco para averiguar, foi quando se deparou com as duas meninas, mortas e queimadas.

Perto dos corpos, a polícia encontrou uma pedra suja de sangue, um caderno com algumas folhas rasgadas e o outro muito sujo de sangue também. Segundo algumas testemunhas, no local onde elas foram queimadas, havia muita fumaça na quarta (31).

Sobre o #Crime, muitos moradores da região ficam com medo de se pronunciar. Agora, a polícia investiga o caso e aguarda exames que comprovem a identidade delas e que ajudem no esclarecimento de suas mortes, se sofreram violência sexual ou outros tipos de agressões.

O caso está sendo investigado pela 33ª Delegacia de Polícia de Santa Maria. Também foram levados para a perícia, bijuterias, um tênis, uma calcinha e um chinelo que estavam perto dos corpos das garotas.

Publicidade

O morador da chácara mais próxima do local não foi encontrado pelos investigadores para ser interrogado. 

Muito famosas nas redes sociais, as duas meninas eram muito requisitadas e o último acesso de uma delas foi registrado por um comentário postado um dia antes de sua #Morte. Amigos das jovens, na internet, deixaram inúmeras mensagens de apoio às famílias. Porém, o real motivo pelo qual elas foram assassinadas, não é comentado por ninguém, sendo um mistério que ainda não foi desvendado. #adolescentes