Servidores de dois Centros de Educação Infantil (CEI) de Avaré, popularmente chamados de creches, cruzaram os braços nesta segunda-feira, 19 de setembro. De acordo com trabalhadores – que atuam como professores, auxiliares de desenvolvimento infantil, cozinha e limpeza, a paralisação se trata de um protesto contra a atual gestão, que, até o momento, não efetuou o depósito dos salários nem do vale-alimentação.

No CEI Maria Izabel Domingues Leal, 70% dos servidores aderiram à paralisação. Já no CEI Adalgisa de Almeida Ward, a adesão foi de 100%. Nenhuma das unidades recebeu crianças.

De acordo com o informado, tanto os pais e responsáveis pelos alunos matriculados nas citadas unidades, quanto a Secretaria da Educação e a Prefeitura, foram avisados sobre a paralisação.

Publicidade
Publicidade

O comunicado ocorreu no dia 14 de setembro, quarta-feira.

Nos próximos dias, outras unidades também podem realizar protestos semelhantes. De acordo com os servidores, esta seria a única maneira de conseguir chamar a atenção da Prefeitura e também de toda a população para o “drama” que estão vivendo, devido aos atrasos no pagamento.

Atrasos constantes estariam colocando servidores "contra a parede"  

Muitos funcionários municipais afirmam que os atrasos constantes estão os colocando contra a parede. Sem o salário, que de acordo com a Lei Municipal nº 125, de 1997 deveria ser depositado todo quinto dia útil de cada mês, e sem o vale-alimentação, cujo valor é de R$ 152,00, muitos comentam que estão dependendo de doações de parentes e até mesmo empréstimos para conseguir sanar as dívidas. Em agosto, por exemplo, o pagamento só foi creditado no dia 17 e o vale-alimentação daquele mês só foi liberado no dia 3 de setembro.

Publicidade

Outra reclamação de uma parcela de trabalhadores é com relação a um cartão de crédito exclusivo para os servidores municipais de Avaré. Chamado SindiCard, ele permite que os trabalhadores façam compras em supermercados, farmácias e comércio em geral. No entanto, a Prefeitura não estaria fazendo os repasses à empresa gestora do cartão, o que ocasionou seu bloqueio entre o final de agosto e início de setembro.

A situação tem ficado cada vez pior para muitos, que revelam que os atrasos no pagamento faz com que financiamentos, aluguel, cartão de crédito, e demais contas sejam pagas todas com atraso, gerando multas que diminuem ainda mais o poder aquisitivo da classe.

Salários devem ser depositados no dia 21

Durante uma reunião que ocorreu no dia 14, a Prefeitura de Avaré anunciou que o pagamento dos servidores deve ocorrer no dia 21, quarta-feira. Na ocasião, o atual prefeito, Poio Novaes, afirmou que os atrasos são motivados pela “pior #Crise de todos os tempos”.

Segundo o divulgado na ocasião, o gasto com folha de pagamento do município é de R$ 5.246.460,09, e até o dia 14 de setembro, a Prefeitura de Avaré tinha em conta cerca de R$ 4,6 milhões.

Publicidade

Também foi explicado que o repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) é de R$ 3.013.583,20, porém, não cobre o pagamento do setor da Educação, cuja folha é de R$ 3.615.741,72

Sobre o vale-alimentação deste mês, foi divulgado que só deve ser pago em outubro, porém, não foi divulgada a data. #Avaré #Greve