Lenny Kravitz, o astro de rock norte-americano, em sua passagem pelo Brasil, visitou o então presidente da República. Na ocasião, o cantor entregou a ele um exemplar de uma de suas guitarras, um dos mais cobiçados, uma "Epiphone Flyng V" na cor preta. 

Na entrega, #Lula fez uma foto promocional com o cantor, segurando a guitarra como se estivesse tocando num show de rock.

O instrumento de grande valor, não só material, mas também pelo fato de ter passado nas mãos de Kravitz, foi autografado e doado para ser levada a leilão, com fundos revertidos ao Programa Fome Zero.

A guitarra de Lenny Kravitz foi leiloada, em maio de 2005, e foi arrematada pelo empresário do setor calçadista, Pedro Grendene, dono das empresas Grendene e Vulcabras, pelo valor de R$ 322 mil.

A guitarra de Bono Vox

Em 2006, ano de eleições presidenciais, imitando o gesto de Kravitz, o cantor irlandês Bono Vox, pop star e vocalista da renomada banda U2, doou também ao “Fome Zero” uma guitarra.

Publicidade
Publicidade

 O cantor tem mesmo peso da fama de Kravitz. 

O leilão da guitarra de Bono, no entanto, aconteceu somente depois de um ano, mediante a cobrança de fãs e da cobrança da imprensa, para que o instrumento fosse a leilão.

Na época, a suspeita levantada foi quanto a guarda do instrumento, que ela teria ido parar nas mãos de um dos filhos de Lula.

Troca de e-mails suspeitos

Em uma troca de e-mails naquele ano, a ex-coordenadora do programa, Fátima Menezes, enviou mensagens aos criadores da ONG, que fãs e jornalistas estavam cobrando a apresentação do instrumento, que estaria guardado com o filho de Lula.

A organização Ação Fome Zero foi uma ONG criada por  dois amigos de Lula, Bumlai e o consultor Toninho Trevisan, tendo como coordenadora Fátima Menezes.

E-mails mostrados pela reportagem do “Estadão”, revelam também que o pecuarista José Carlos Bumlai, na época, entrou numa disputa entre ONGs pelo dinheiro arrecada nos leilões.

Publicidade

Um dos e-mails trocados entre Bumlai, Trevisan e Fátima Menezes falam de uma certa tensão: “Temos agora uma situação de tensão que é o leilão de duas guitarras[...]", relata Fátima.

Em outro e-mail, Fátima Menezes relata que a jornalista do Estadão continuava ligando diariamente para obter informação de onde estava a guitarra.

Fátima relata ter conversado com a jornalista e relatado que o instrumento estava em segurança, em posse da ONG, e, por questões de segurança, pediu discrição em divulgar a informação.

E-mail sugere a posse ao filho de Lula

O trecho que revela algo sinistro é o que a ex-coordenadora diz para Bumlai, “Eu percebi o que está por detrás deste fato: o jornal recebeu uma denúncia de que o objeto está na casa do filho [...]”, diz Fátima num dos trechos do e-mail.

O fato é que as comunicações entre eles revelam que o leilão virtual feito às pressas, sabidamente, não garantiria o mesmo sucesso do feito anteriormente, que foi presencial, "envolvendo a emoção", confirme relatado no e-mail.

Publicidade

Alguns sites, na época, noticiaram que o leilão só aconteceu devido às cobranças dos fãs interessados na aquisição do instrumento doado por Bono Vox.

Segundo noticiou na ocasião o site G1, o instrumento foi arremato por pouco mais do valor mínimo estipulado. Leiloada em 2007, ela foi arrematada por ínfimos R$ 15 mil, cifra que não chega nem perto do valor conseguido pela guitarra de Lenny Kravitz.

O vencedor do leilão feito pela internet, foi um irlandês erradicado no Brasil, Sear Harton levando a guitarra de Bono Vox por um valor 20 vezes menor que o conseguido pela guitarra de Kravitz.

  #Escandalo #Lava Jato