Leandro Olin dos Santos, de 20 anos, mais conhecido pelo personagem 'Leona Vingativa' da internet, foi preso nesta quarta-feira, 21, após roubar uma loja de roupas na cidade de Belém, no Pará. Leona ficou conhecida por fazer uma personagem na internet que dizia ser vingativa e assassina. Os vídeos de humor dela viraram um verdadeiro sucesso do Youtube. No entanto, a novela da vida real acabou superando as brincadeiras. Leandro foi flagrado com a boca na butija, quer dizer, com a mão em roupas de uma loja e indo embora sem pagar. O furto teria acontecido em um bairro conhecido como 'Cremação'.  

Em entrevista ao portal de notícias G1, o delegado Aldo Botelho revelou que a identidade social do criminoso é uma, mas que nos documentos dele, ele se chama de outra forma.

Publicidade
Publicidade

Ele explica que o bandido não atende pelo nome verdadeiro. O delegaddo revela que a documentação está toda no nome como Leandro. De acordo com o profissional da lei, tudo aconteceu enquanto o jovem passava  em uma loja de roupas em uma avenida movimentada do bairro citado anteriormente na reportagem. De forma rápida, Leona teria colocado tudo em uma enorme sacola e saiu da loja.

A proprietária estranhando a cliente que queria levar tudo ficou de olho grudado em Leona. O delegado revela que o criminoso saiu da loja e a proprietária rapidamente gritou pelo marido dela, que conseguiu deter o bandido. Ele usou uma moto para começar uma perseguição que não foi flagrada por nenhum empolgante vídeo, como os da internet. O homem então apenas segurou Leandro e logo o reconheceu por conta das publicações na internet.

Publicidade

Ao invés de pedir um autógrafo, ele acabou chamando foi mesmo a polícia. 

De acordo com o delegado, o criminoso confessou o #Crime. Segundo o meliante, seu intuito era vender as roupas para ter dinheiro para poder se cuidar melhor. Ele revelou que usaria a grana das vendas para fazer a unha e os cabelos. Leona não conversou com a reportagem. Não é a primeira vez que ela é presa. Isso já havia acontecido em 2015.  #Investigação Criminal