Um caso com grande repercussão em todo o país, aparentemente, teve solução nesta quinta-feira, 1º de setembro. Isso porque um homem identificado como Adônis José Negri, de 61 anos, acabou confessando que envenenou a bebida achocolatada que acabou resultado na morte de um menino de apenas dois anos. O caso aconteceu na cidade de Cuiabá, no estado do Mato Grosso. O envenenamento fez com que todo um lote da marta do achocolato saísse de mercado, mas a estranheza no fato degringolou em investigações mais aprofundadas. 

O chefe de operações da Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica) do estado, Darimar Carneiro Aguiar, disse em entrevista à Revista Veja que um outro homem, de 27 anos, identificado como Deuel de Rezende Soares, roubou a bebida da casa do senhor preso.

Publicidade
Publicidade

Ele revendeu a bebida para o pai da criança, que deu a bebida envenenada sem saber para o próprio filho. A perícia confirmou que a morte do menino de dois anos foi por conta de veneno de rato. Todas as caixinhas do achocolatado encontradas na casa da família estariam contaminada.s. 

Os peritos então descartaram que o leite com achocolatado poderia ter se contaminado com um fungo ou bactéria durante o processo de fabricação. Eles identificaram que a embalagem tinha um furo quase imperceptível, feito com uma seringa muito fina, que colocou o veneno dentro do local, ocasionando a morte da criança. Todas as embalagens tinham o mesmo furo, localizado na parte superior. Ao todo, duas marcas diferentes encontradas na família estavam com o veneno. 

O senhor preso diz que colocou o veneno das caixas de chocolate para matar animais.

Publicidade

No entanto, o homem que roubou as bebidas para revender disse que elas estavam na geladeira. O ladrão já tinha furtado a casa do envenenador outras vezes. Ele costumeiramente assaltava a geladeira do preso. Adônis então decidiu se vingar do ladrão, acreditando que esse beberia o achocolatado. Ele ao invés de beber o líquido, vendeu o achocolatado por R$ 10 e comprou droga.  #Crime #Investigação Criminal