A polícia conseguiu prender um estuprador em flagrante, graças a ação rápida de um homem que viu o suspeito levando uma menina de apenas 10 anos para um matagal. O caso aconteceu na última quinta-feira (29), na zona sul de Manaus e o estuprador tem 44 anos. De acordo com as informações da Polícia Civil, um cidadão estava passando pelo local quando viu o suspeito levando a menina para o meio do mato. Ele achou aquilo muito estranho e logo suspeitou de que pudesse ser um #Crime de #Estupro. Rapidamente ele entrou em contato com a polícia e informou tudo que tinha flagrado.

Já era por volta de 10h30 quando a viatura chegou ao locou e os policiais abordaram o sujeito.

Publicidade
Publicidade

Os agentes descobriram que pouco tempo antes, a garotinha estava andando no bairro sozinha, quando foi abordada pelo indivíduo que a conduziu para o matagal, onde pretendia estuprá-la. A criança foi levada à força e sofreu ameaças para não gritar e chamar a atenção de alguém que morasse mais próximo ao local.

Ao ver a cena do homem abordando a criança e levando-a a força para um local isolado, o homem que flagrou a cena, entrou em contato com o CICOM - 2ª Companhia Interativa Comunitária, informando o ocorrido. Assim que os policiais chegaram e viram o homem com a menina, já deram voz de prisão. Assustada, a criança saiu correndo e acabou não sendo identificada.

Ao ser preso, o suspeito ainda ofereceu a quantia de R$ 34,00 para que os policiais o soltassem e esquecessem toda aquela história.

Publicidade

Os policiais recusaram o suborno e o homem ficou furioso. Ele começou a resistir à prisão e quando chegou à prisão ainda tentou fugir, mas foi detido. Na tentativa de não ser preso, o preso acabou quebrando uma porta de vidro, na delegacia, complicando ainda mais a sua situação.

Agora o homem encontra-se à disposição da Justiça e deverá ser indiciado por estupro de vulnerável, além de corrupção ativa por ter oferecido dinheiro aos policiais e ainda responderá a dano ao patrimônio público, por ter quebrado a porta de vidro na delegacia. #Casos de polícia