O Departamento de Homicídios, em Belford Roxo, localizado na Baixada Fluminense, está investigando a #Morte de um condutor. O homem, identificado como Ronaldo Santos, morreu linchado por populares, na tarde do último sábado (03).

O motorista acabou atropelando uma mulher que estava na companhia de três filhos. Infelizmente, duas das crianças faleceram no local. As pessoas que presenciaram o #Acidente ficaram revoltadas e atacaram Ronaldo, logo após a tragédia. A revolta das pessoas que moravam na área foi tão grande que o motorista foi espancado e vítima de arma de fogo. Os populares atearam fogo no carro de Ronaldo que acabou incendiado antes da chegada dos policiais.

Publicidade
Publicidade

O motorista chegou a ser encaminhado para atendimento médico, mas acabou falecendo. Algumas pessoas que presenciaram a #Tragédia disseram que o condutor do veículo parecia estar embriagado.

Os policiais responsáveis pela investigação estão colhendo informações das testemunhas para entender o que realmente ocorreu no local. Os agentes usarão as imagens de um circuito de segurança do local para auxiliar na investigação.

Entenda o caso

O acidente aconteceu no sábado (03), na parte da tarde. Eram aproximadamente 17h quando o motorista atingiu a família. A mãe das crianças, Juliene Martins, 26 anos, estava acompanhada das três crianças. Elas foram atingidas pelo carro e as meninas de 2 anos e um bebê de apenas quatro meses tiveram morte instantânea. Já Juliene e a filha mais velha de sete anos conseguiram sobreviver.

Publicidade

As duas foram encaminhadas para atendimento médico. Apesar de ainda estarem internadas, o estado clínico de Juliene e da filha é estável. Os familiares informaram que a filha mais velha, Ana Júlia, precisará passar por um procedimento cirúrgico.

As duas meninas que faleceram vítimas do acidente, foram enterradas na tarde deste domingo (04). O sepultamento aconteceu em Caxias. A mãe das meninas não teve condições de acompanhar o enterro das filhas. Jefferson dos Santos, pai das crianças, estava muito abalado e chorou compulsivamente durante o sepultamento.

Um parente disse que elas estavam retornando de um ensaio da igreja que elas frequentavam e estariam há menos de 100 metros da residência quando ocorreu a tragédia.