A Polícia Civil da cidade de São Carlos, em São Paulo, prendeu, na manhã deste sábado (03), um adolescente de 15 anos, acusado de matar o comerciante Rosemir Aparecido Landi, de 40 anos de idade. O crime bárbaro ocorreu durante esta madrugada, entre no cruzamento da Rua José Zavaglia, no Bairro Cidade Aracy II. Ao prestar depoimento na delegacia, o adolescente afirmou que sempre teve vontade de 'cortar a cabeça de alguém'.

De acordo com o delegado Gilberto de Aquino, o crime foi descoberto por volta das 6h da manhã, quando uma funcionária de uma padaria chegava para trabalhar e viu a cabeça do comerciante em frente do estabelecimento.

Publicidade
Publicidade

Ela conta que, a princípio, achou que fosse um brinquedo, mas quando chegou perto viu que era a cabeça de um homem. Ela se assustou tanto e ficou com medo, que voltou correndo e chamou o marido, enquanto ligava para a polícia. A mulher relata também que, no começo, a polícia achou que fosse trote, mas retornaram a ligação e pegaram o endereço, chegando em seguida.

O resto do corpo de Rosemir foi encontrado em um terreno, que ficava a uma distância de 50 metros, do lugar onde foi encontrada a cabeça. Além disso, foram localizadas 2 facas de 15 e 30 centímetros, e também havia pedaços de cortina em cima do corpo, com vestígio de tentativa de incêndio.

Ao começar as investigações, a polícia teria recebido a informação de que a vítima não era usuário de drogas, mas depois testemunhas relataram que Rosemir passou a noite em um bar, consumindo cocaína junto com um adolescente.

Publicidade

Segundo o delegado, o assassino e a vítima eram usuários de drogas e usavam cocaína juntos e acabaram tendo uma pequena discussão, momento em que o adolescente desferiu um golpe no pescoço de Rosemir, e depois vários outros, até que a vítima caiu ao chão.

A equipe policial conseguiu prender o assassino graças à ajuda da própria mãe dele. Ela contou ao delegado que o adolescente chegou em casa nesta manhã e tentou esconder a bermuda que usava, o que a deixou desconfiada. Ele trocou de roupa e foi para a casa de uma namorada. A mãe entregou o filho para a polícia, pois não aceitou a situação e  o crime praticado por ele.

Os delegados que estão responsáveis pelo crime informaram que é lamentável esse tipo de coisa, e que nunca viram isso acontecer, que essa é a primeira vez que presenciam um crime tão bárbaro. Como se trata de um adolescente, ele deverá ser encaminhado para a Fundação Casa. #Decapitação #Casos de polícia #Morte