O caso aconteceu no Paquistão. A britânica Samia Shahid, de 28 anos, foi estuprada e morta em #Crime arquitetado pela própria família da jovem. Ela teria sido atraída de volta ao país por mensagens mandadas pela mãe e irmã. Os conteúdos das mensagens informavam que o pai de Shahid estava próximo da morte, pois estaria muito doente.

Essa armadilha cruel planejada pela própria família da jovem se iniciou após Shahid ter fugido de um casamento arranjado pela família com um primo. A jovem saiu do país e casou com Syed Mukhtar Kazam. Contudo, a família de Shahid jamais aceitou essa segunda união. E esse seria o motivo de planejarem sua morte.

Publicidade
Publicidade

A polícia paquistanesa, que está investigando a morte de Samia Shahid, já teria descoberto anteriormente o envolvimento do pai da vítima, Mohammad Shahid, e de seu primo e ex-marido, Mohammad Shakeel. Mas agora, com seguimento das investigações, descobriu-se o envolvimento da mãe, Madiha, e a irmã mais nova da jovem. As duas serão indiciadas como cúmplices do assassinato, já que enganaram a vítima, afirmando que seu pai estaria morrendo. Ele era diabético, por isso a jovem acreditou. Dois dias antes de Samia viajar para o Paquistão, a mãe e a irmã falaram com ela 15 vezes.

Inicialmente, a família informou à polícia que a jovem teria tido uma crise de asma ou um infarto fulminante, que teria culminado na morte da moça. Eles informaram que viram um líquido escorrendo da boca da jovem, que estava morta em sua cama.

Publicidade

Shahid foi enterrada num cemitério na própria aldeia onde a família dela pertence e mora.

Descoberta do crime

A descoberta só foi possível por que o atual marido da jovem, Kazam, falou ter sido informado bem depois da morte da esposa. Afirmou que sabia que a morte da jovem não teria sido por doença, e sim que ela teria sido assassinada, pois a família nunca tinha aceitado o casamento dos dois, que ocorrera por amor. Ele disse ainda que a família já havia ligado uma vez para que ela voltasse ao Paquistão por conta da morte de uma tia, porém ela temia e não foi.

Kazam e Shahid casaram em 2014, em Leeds, na Inglaterra, e se mudaram para Dubai em 2015, onde viviam atualmente. Kazan contou que ela algumas vezes tentou convencer a família para que aceitasse o casamento deles, mas teria sido em vão. Ele disse ainda que Shahid só se encorajou a voltar ao Paquistão com receio que seu pai morresse sem que ela o visse.

Ante de viajar, ela conversou através de mensagem com um amigo informando sobre a viagem, pedindo que ele orasse para que ela retornasse viva da viagem, que só iria pois sua irmã mais nova ligou chorando, falando que o pai estaria à beira da morte.

Publicidade

O assassinato de Shahidsó foi investigado por que as autoridades britânicas pressionaram as autoridades paquistanesas, que inicialmente teriam ficado com a versão da família por morte pela asma ou infarto. As autoridades britânicas exigiram fazer por conta própria uma necropsia do corpo da vítima, afirmando que ela teria sido assassinada, após denúncia realizada pelo seu marido.

Durante interrogatórios, o ex-marido e primo da vítima, Mohammad Shakeel, afirmou ter matado a jovem, estrangulando-a com um lenço. #Casos de polícia