Vários caminhões de mudança faziam a transferência da residência oficial da presidente, em Brasília, para a capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Nela, Dilma Rousseff (PT) transferiu vários objetos pessoais e, praticamente, quase não deixou nenhum pertence para atrás. No entanto, um personagem muito importante nas suas caminhadas como política nacional não pôde ser levado pela petista: o labrador ‘Nego’, que está doente e será cuidado por um ex-assessor da ex-presidente.

O cão virou estrela da petista na campanha para a presidência da República no ano de 2010, quando Dilma, pela primeira vez, e com o apoio de Lula, pusera o seu nome para concorrer ao cargo mais importante do Brasil.

Publicidade
Publicidade

Nego, naquele momento, tornou-se uma espécie de xodó de Dilma e dos petistas, um mascote da campanha. Ao que parece, Nego deu muita sorte à gaúcha, já que ela obteve uma votação expressiva naquela época. Já o cão, adotado por Dilma após o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, ter o deixado em sua residência oficial, havia ganhado uma nova casa: a residência oficial da presidente da República. Nego, no entanto, aparecia em fotografias fazendo companhia às conhecidas caminhadas e pedaladas que Dilma dava em algumas manhãs de algumas semanas.

No entanto, de acordo com informações colhidas no jornal Folha de São Paulo, Nego já está com a idade bastante avançada para um cão. Atualmente ele tem 14 anos de idade e já apresenta dificuldades de locomoção. Além de não conseguir caminhar com tranquilidade, o cão também já não consegue se alimentar direito.

Publicidade

Dessa forma, a veterinária de Nego foi até Dilma e conversou com a presidente afastada. Na conversa, a profissional de saúde alertou a petista afirmando que o cão corria perigo de vida, caso ela, em sua mudança, proporcionasse a Nego uma viagem muito longa, como é o caso da distância entre a capital, Brasília, e Porto Alegre, no extremo sul do país.

Dilma, então, para evitar a morte do cão, resolveu não levá-lo e seguir viagem sem ele. Nego, que já havia sido deixado em 2005 e adotado por Dilma, agora se encontra sob os cuidados de um ex-assessor da petista.  #Animais #Curiosidades #Dilma Rousseff