Um dia é da caça, o outro do caçador. Esse ditado percorre a humanidade hpa muitos anos. No entanto, nesta segunda-feira, 26, ele passou a ter mais sentido para um homem de trinta e dois anos. Ele é um ladrão atrapalhado e ganhou as manchetes dos principais sites brasileiros. De acordo com informações do portal de notícias G1, o tal homem invadiu uma agência bancária e roubou um cofre do local. O #Crime aconteceu em Jataí, região sudoeste de Goiás. O que o meliante não esperava é que aquele não fosse um dia de tanta sorte assim. Isso porque ele foi preso e olha que os agentes policiais da região, digamos, nem precisaram de mexer para pegar ele.

Publicidade
Publicidade

E quando escrevemos que não precisaram é porque foi isso mesmo o que ocorreu. 

O ladrão, ao entrar no banco e começar a pegar o dinheiro, ouviu o alarme da agência e ficou completamente desesperado. Ele então largou tudo o que tinha e decidiu fugir, afinal, nenhum dinheiro conseguiria valer por sua liberdade. Na fuga, ele pulou o primeiro muro que viu. No entanto, o meliante parecia não conhecer muito bem a região. Isso porque ao cair do quintal vizinho ao banco, ele chegou ao batalhão da polícia militar, onde ele foi detido. Toda a ação aconteceu no pátio da instituição. Em Jataí, nas ruas não se fala de outra coisa. Os moradores da cidadezinha já dizem até que o homem deve entrar para o livro dos recordes como a prisão mais rápida da história. 

De acordo com o G1, o ladrão conseguiu fazer um buraco na parece do banco e chegou até ao cofre.

Publicidade

Tentando não ser identificado, ele tampou as câmeras de segurança do local. Isso tudo foi feito com papel alumínio, aquele que a gente usa para vedar os alimentos e mantê-los em sua temperatura de preparo por mais tempo. Foi nesse meio tempo que o alarme disparou e o suspeito saiu em disparada. Ele percebeu que policiais estavam chegando e pulou o primeiro muro que viu, apenas não contava que fosse justamente o da corporação. 

Com o ladrão, foram apreendidas várias ferramentas usadas para entrar no estabelecimento. #Investigação Criminal