O fato aconteceu em uma avenida da cidade de Santos, no estado de São Paulo, no último domingo, dia 11 de setembro. Uma promotora de eventos de 51 anos teve vários ferimentos após reagir a um assalto e entrar em luta corporal com o criminoso. A promotora havia saído com sua filha, uma adolescente de treze anos, e uma amiga. Elas estavam caminhando em direção a um ponto de ônibus, na avenida Francisco Glicério, no bairro de Vila Mathias. Aparentemente estava tudo tranquilo no local, favorecendo o passeio de domingo. Ao chegar ao ponto de ônibus a promotora retirou da bolsa seu celular para usar o aplicativo Uber. Neste momento passou um marginal que estava numa bicicleta e se aproximou da promotora de eventos gritando “perdeu, perdeu”.

Publicidade
Publicidade

A mulher afirmou ao site de noticias G1 que pela afobação do meliante ela percebeu que ele não estava com nenhuma arma. O assaltante conseguiu pegar o celular na mão da mulher e foi na direção da sua filha de treze anos. Ele saiu correndo depois de assaltar a adolescente.

A promotora de eventos disparou correndo atrás do criminoso. A perseguição da mulher ao assaltante só terminou quando ele entrou no estacionamento de um centro de eventos que fica próximo ao ponto de ônibus onde ocorreu o #Crime. O meliante, que estava muito atordoado, acabou colidindo com uma cancela, caindo e sendo alcançado pela promotora de eventos. A mulher entrou em luta corporal com o rapaz e conseguiu recuperar se aparelho de celular, porém ficou com alguns ferimentos pelo corpo. O meliante, percebendo que sua tentativa de assalto tinha sido frustrada, resolveu fugir e saiu correndo novamente, mas em poucos minutos foi alcançado por populares que viram a ação do marginal.  Ele foi imobilizado, a polícia foi chamada e o criminoso foi preso.

Publicidade

A promotora de eventos de 51 anos de idade confessou que sabe que o correto seria ela não ter reagido ao assalto, pois é muito arriscado, mas que nem pensou em nada quando viu o homem se aproximando de sua filha. “Quando vi ele indo na direção da minha filha, virei um bicho”, afirmou. Ela afirmou ainda que o local não é seguro e que acredita que teve apenas ferimentos leves por possuir uma noção de segurança e autodefesa. O ladrão foi detido pelo primeiro batalhão da policia de Santos, onde houve o registro da ocorrência.

Essa é uma das raras histórias onde a vítima reage a um assalto e não acontece nada de grave. Mas vale a pena sempre lembrar que o ideal é nunca reagir a um assalto, pois a consequência pode ser fatal, mesmo quando o criminoso estiver desarmado. #Casos de polícia