O mundo, por vezes, é muito injusto, enquanto umas mulheres são doidas para terem filhos e não conseguem, outras que possuem essa benção na vida não dão valor e tentam até tirar a vida dessas crianças inocentes. Uma mulher de 22 anos tentou jogar a pequena filha, de apenas 6 meses de idade, de um muro que possuía mais ou menos 7 metros de altura, na cidade de Bom Jesus do Galho, em Minas Gerais.

Segundo a Polícia Militar, a #mãe da mulher relatou que a filha chegou à casa da família sob o efeito de álcool e estaria muito agitada. Sem nem mesmo dizer alguma coisa, a jovem pegou a criança e foi em direção ao muro para jogá-la lá de cima.

Publicidade
Publicidade

A sorte foi que alguns vizinhos viram a confusão e retiraram o bebê dos braços da progenitora.

Ainda mais revoltada, a mulher partiu para cima da mãe para agredi-la com uma panela de pressão e aplicou golpes em sua cabeça, além de quebrar a porta da casa com vários socos. A mulher só foi contida depois que os policiais chegaram.

As três envolvidas, mãe, filha e neta foram encaminhadas para atendimento médico em um hospital da cidade. Pouco depois, avó e neta foram liberadas pelos médicos e a mulher agressora encaminhada para a delegacia da cidade de Caratinga, onde teve que prestar depoimento.

Segundo a assessoria da Polícia Civil, a jovem foi autuada em flagrante e levada para uma unidade prisional. Ela foi ouvida pelo delegado e o mesmo resolveu não autuá-la por tentativa de homicídio, mas sim por colocar a vida da filha em risco. 

Como a mulher não possuía nenhum antecedente criminal, se ela for condenada pela Justiça poderá pegar até um ano de prisão.

Publicidade

Ela ainda não foi ouvida a respeito da #agressão contra a mãe, mas ainda será.

Depois que a mãe da jovem passou por atendimento médico, ela foi até o Conselho Tutelar da cidade para solicitar a guarda da neta. Segundo a mulher, a filha não tem condições de cuidar e criar a menina. O progenitor da criança, que não mora com a mãe da filha, também foi ao Conselho Tutelar e autorizou que a mesma seja criada pela avó. O próximo passo que a avó da criança deve tomar é a de procurar um advogado para entrar com o pedido na Justiça. #Bebês