Lamentavelmente têm se tornado muito 'comum' crimes cometidos por homens, e também por mulheres, que não aceitam o fim de um relacionamento e se acham no direito de tirar a vida da outra pessoa. O interessante é pensar como age o ser humano: essa pessoa, que durante um período, às vezes longo, às vezes mais curto, era motivo de alegria, amor, paixão e felicidade, de repente deixa de ter o seu valor e perde até o direito à própria vida. É o famoso ditado: se a pessoa não pode ser minha, não será de mais ninguém. Quanta maldade, crueldade e egoísmo.  

Mais um desses crimes hediondos ocorreu no litoral de São Paulo, onde uma mulher, identificada como Maria da Conceição, foi morta pelo marido na manhã desta quarta-feira (31), na cidade de Praia Grande.

Publicidade
Publicidade

O acusado do #Crime, Vladimir Barros da Silva, que é conhecido como 'Nino' e a vítima Maria da Conceição foram casados durante 35 anos, mas, ultimamente, estavam separados, só que de forma informal.

Vladimir matou a mulher por volta das 10h30, dentro da casa em que o casal morava, antes da tal separação. Maria da Conceição foi agredida com diversos golpes na cabeça e não resistiu aos ferimentos. O motivo para o crime seria ciúmes e o fato de Vladimir não aceitar a separação, além de acreditar que estava sendo traído por Maria da Conceição. 

Após o crime, o suspeito usou algum objeto pontiagudo para escrever no chão da residência, ao lado do corpo da ex-mulher, as seguintes palavras: 'Matei' e 'Traição'. Vladimir teria fugido depois de matar a mulher usando uma bicicleta.

De acordo com informações dos vizinhos, Vladimir e Maria da Conceição brigavam muito, constantemente eles ouviam brigas entre os dois.

Publicidade

O casal morava na residência, local do crime, que se localiza no Bairro Ribeirópolis da cidade, há cerca de 5 anos.

Vladimir era pedreiro e estava fazendo reformas na casa para ampliar a residência da família. A Polícia Militar foi acionada após o crime para registrar a ocorrência e começar as investigações do mesmo. O acusado do crime não foi encontrado e continua foragido.  #Investigação Criminal #Casos de polícia