Um novo escândalo envolvendo o nome do ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva (#PT), foi divulgado pela imprensa, na tarde desta quarta-feira, dia 14 de setembro. De acordo com o jornal O Globo, a mulher dele, a "dona" Marisa Letícia, seria cúmplice do ex-governante no caso de desvio de dinheiro e corrupção que ficou popularmente conhecido como Operação #Lava Jato. Além dela, mais seis nomes foram citados pelo Ministério Público Federal (MPF), que está envolvido no caso.

A situação referida pelo MPF seria a respeito da acusação de lavagem de dinheiro no caso do tríplex, localizado no edifício Solaris, na cidade do Guarujá, litoral paulista.

Publicidade
Publicidade

A denúncia foi encaminhada a 13ª Vara Federal de Curitiba, onde reside e trabalha o juiz federal Sério Moro.

Além do nome da dona Marisa, foram denunciados o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, o ex-presidente da empresa OAS, Léo Pinheiro, os ex-diretores da mesma organização, Paulo Gordilho, Agenor Franklin Magalhães Medeiros, Robeiro Moreira Ferreira e Fábio Hori Yonamine.

Lula negou todas as acusações por meio de sua página pessoal no Facebook e disse ainda que já foi provado que ele não é dono do tríplex no Guarujá. O ex-presidente também afirmou que a única vez que Lula pisou no local foi para avaliar uma possível aquisição do imóvel, que nunca foi fechada.

A nota afirma também que o ex-presidente nunca dormiu no local e afirmou que a operação "Lava Jato desesperadamente tenta atribuir o crime" a ele.

Publicidade

O Instituto Lula, que assessora o petista, incluiu na postagem links para que interessados vejam documentos provando que ele não tem ligação com o caso.

Já a OAS falou que não irá dar entrevista e nem nota oficial sobre as acusações de seus membros.

O MPF, contudo, disse que foram feitas reformas no local que chegam a mais de R$ 1 milhão e o valor seria pago à empresa construtora como vantagem indevida para participar do cartal da Petrobras. A OAS fechou R$ 7 milhões em contratos com a estatal entre os anos de 2007 e 2012. De acordo com O Globo, Lula ainda tentava ocultar parte de seu patrimônio neste período.