Mais um caso revoltante contra crianças. Uma médica deu um tapa em um menino de 6 anos com Síndrome de Down em um centro de saúde de Rio Branco, no estado do Acre. A cena foi registrada por uma câmera de segurança e mostra o momento exato da agressão ao menino.

A mãe do menino de 6 anos, Liliane Pereira, de 31 anos, contou ao site G1, que a #Família anda muito triste pelo o que aconteceu há uma semana. A mãe afirma que a médica chamou seu filho de débil mental, que ele deveria estar amarrado e que não deveria andar em sociedade.

O garoto com Síndrome de Down deu um tapa nas costas da médica, Sirlândia Brito, e ela na mesma hora deu um tapa de volta na criança e começou a falar coisas sobre a criança para o seu marido que estava ao lado.

Publicidade
Publicidade

Uma testemunha da cena afirmou ter errado na hora, por não ter ligado para a polícia no mesmo instante. “Fiquei chocada com tudo”. A testemunha ainda disse que a criança só queria chamar a atenção, era uma forma de brincadeira, como toda criança faz. E jamais um adulto poderia revidar um tapa a uma criança.

Segundo a mãe do menino com Síndrome de Down, seu comportamento mudou bastante depois do ocorrido e o garoto tem ido a uma psicóloga, além de ter pesadelos durante a noite. A família registrou um Boletim de Ocorrência contra a médica e agora aguarda justiça. Sirlândia preferiu não se pronunciar sobre o assunto e apenas disse a reportagem, que tudo será resolvido.

Assista o vídeo:

 

 

O que é a Síndrome de Down?

A Síndrome de Down é uma ocorrência genética e possui 47 cromossomos, em vez de 46.

Publicidade

Ela  também é chamada de trissomia do 21. Essa alteração acontece na hora da concepção do bebê. As pessoas com Síndrome de Down possuem características diferentes e estão sujeitos a maior incidência de doenças e a uma expectativa de vida menor. Vale lembrar, que a Síndrome de Down não é uma doença, mas sim uma condição. Segundo pesquisas, a síndrome acontece de um a cada 700 nascimentos no mundo. As crianças podem levar uma vida normal, frequentar a escola regular, desde de que tenham acompanhamento de profissionais especializados.

E você o que achou da atitude da médica que agrediu a criança com Síndrome de Down? Deixe sua opinião nos comentários dessa matéria. #Brasil #Casos de polícia