São tantas famílias sofrendo no mundo inteiro por filhos e parentes que somem inesperadamente e ninguém sabe dizer o que aconteceu. Ás vezes passam-se anos e nenhuma informação sobre a pessoa aparece. Ou outras vezes a notícia que vem não é tão agradável, e o ente querido é encontrado morto. O mais triste ainda é quando esse sumiço envolve crianças e adolescentes.

Graças a esperteza de uma menina de apenas 11 anos de idade, o #sequestro da mesma terminou de forma feliz e evitou muita tristeza e desespero de sua família. A menina foi raptada quando estava saindo de um supermercado no Bairro Trieste, na cidade de Jarinu, em São Paulo.

Publicidade
Publicidade

Segundo o Delegado Marcel Fehr, após ser interceptada pelo homem de 27 anos, a #menor foi obrigada a entrar em um caminhão e foi encaminhada para uma fábrica de blocos, que se localiza a 5 quilômetros de distância  do supermercado de onde foi levada.

Esse sequestro só não teve um final pior, pois a menina foi muito esperta, e aproveitou um momento em que o sequestrador se distraiu e dormiu, para sair do #cativeiro. De acordo com o delegado, o homem fez uso de um pé-de-cabra, de um facão e de uma espingarda de pressão para ameaçar e coagir a menina. 

O homem estava embriagado e antes de cometer algum abuso sexual contra a menor, acabou dormindo. Foi nesse momento que a menor aproveitou e pegou as chaves do cômodo e saiu correndo do lugar. Assim que chegou à rua, a menor solicitou ajuda de uma família que estava passando pelo lugar e conseguiu voltar para casa.

Publicidade

A Polícia foi chamada e ao chegar ao local indicado pela menina encontrou o homem ainda dormindo, assim como a mesma tinha relatado. Os policiais encontraram também os objetos que o mesmo usou para coagir e ameaçar a menor.

A menina passou por avaliações médicas, que comprovaram que a mesma não chegou a sofrer abusos sexuais. O homem foi preso e responderá pelos crimes de sequestro e cárcere privado. Ele foi encaminhado para o Centro de Triagem de Campo Limpo Paulista e poderá pegar até 5 anos de prisão pelos crimes cometidos.