É mais um #Crime que abalou o mundo inteiro e causou grande revolta, pois todos esperam que a mãe seja aquela pessoa que é capaz de tudo pelos filhos, até mesmo dar a vida por eles. Mas nesse caso o que aconteceu é que a mulher tirou a vida dos próprios filhos. Agora a polícia dos Estados Unidos está investigando a americana, pois ela é suspeita de sequestrar e, logo em seguida, assassinar as duas crianças.

O crime aconteceu na segunda-feira (26), e a mulher, Amber Pasztor, de 29 anos, não tinha a guarda dos dois filhos. Ela então sequestrou as crianças e logo a polícia emitiu um alerta para todo o estado da Indiana, pois o crime aconteceu em Elkhart.

Publicidade
Publicidade

As buscas começaram logo no início da manhã e os investigadores passaram o dia todo em buscas de pistas que pudessem levar até os irmãos. À noite, a mãe foi até a delegacia, se apresentou e disse que não era mais preciso procurar, pois as crianças já estavam mortas.

Mas as surpresas estavam só começando, pois os policiais ainda descobriram que os corpos das crianças estavam do lado de fora da delegacia, dentro do veículo da mulher. Rene Pasztor tinha apenas 6 anos de idade e Liliana Hernandez tinha 7 anos.

Um dos grandes desafios agora para a polícia é descobrir o motivo do crime, já que a mulher não quer falar nada. Os familiares estão tentando ajudar na investigação e informaram que a mulher já tinha solicitado a guarda dos filhos, mas lhe foi negado porque ela fazia uso de drogas. As crianças ficaram com o pai e ela já vinha a quase um ano, atormentando a vida do ex-marido, querendo que ele lhe entregasse os filhos.

Publicidade

Para pegar as crianças, a assassina foi até a casa do ex-companheiro e levou um vizinho para ajudá-la. A mulher esperou que o pai das crianças fosse trabalhar, para entrar na casa e sequestrá-la. Um outro filho, de 3 anos, não foi sequestrado e ficou na residência.

O pai das crianças foi assassinado também e a polícia agora investiga se Amber tem alguma ligação com esse outro crime. A mulher encontra-se presa à disposição da Justiça. #Violência #Casos de polícia