A notícia de que a ex-presidente Dilma Rousseff teria ordenado à execução do seu fiel escudeiro se espalhou em uma velocidade surpreendente pela internet. Há quem diga que o cão não podia viajar por estar muito doente, por isso, há a suspeita do sacrifício.

Uma publicação do jornal "Metropoles" revelou que o companheiro de quase todas as caminhadas de Dilma não teve tanta sorte assim, "o cão, com 14 anos, já estava debilitado", no entanto, Dilma teria recomendado que 'Nego', o cachorro, fosse executado, afirmou o jornal.

Diante das especulações sobre o feito, fontes próximas à ex-presidente Dilma revelaram que ela teria deixado o animal na residência de um de seus assessores, cujo nome não foi revelado.

Publicidade
Publicidade

Já a assessoria de comunicação do Palácio do Planalto evidenciou, por intermédio de uma veterinária, que o cão passava por complicações sérias de saúde e não aguentaria uma viagem tão longa. Ao concluir alertou sobre a doença do lavrador ter sido agravada pela sua idade avançada.

O cachorro já havia sido rejeitado pelo seu primeiro dono, na época, o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, que havia deixado o cão na residência oficial ainda quando era parte da equipe ministerial de Luiz Inácio Lula da Silva.

Novamente, Nego foi abandonado, só que, agora, por Dilma que outrora havia prestado socorro e herdado o animal. Infelizmente, a petista não aceitou que o cão fizesse parte de sua vida e resolveu abandoná-lo e o pior, não há indícios do paradeiro do animal.

Entretanto, a polêmica e os questionamentos continuam, querem saber porq ue a ex-presidente não optou em levar o cão na própria aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), uma vez que, a mesma foi disponibilizada pelo Governo Temer com exclusividade, para embarcar com tudo que fosse necessário.

Publicidade

Será que Nego não era peça importante? Esta é justamente uma das perguntas que não se cala.

Por fim, a ex-presidente deve permanecer na cidade gaúcha onde escolheu para fixar residência, até que o cenário político se acalme, entretanto, vai continuar marcando presença em eventos organizados pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e analisando as propostas para o futuro. 

  #PT #Dilma Rousseff