Após ser confirmado o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, vários movimentos ligados ao #PT perderam ajuda financeira e decidiram tumultuar o país. O presidente Michel Temer foi alertado por políticos experientes a se preparar contra essas manifestações, que praticamente é formada por petistas que perderam os privilégios do governo.

O sentimento do povo brasileiro é que o governo Temer "acerte" na economia e possa fazer com que o #Brasil volte a crescer e gere mais empregos. Porém, movimentos de esquerda não querem que o Brasil melhore, pois a estratégia deles é "Quanto pior, melhor".

Num país democrático, como o Brasil, as manifestações têm que ser respeitadas e os governantes devem ouvir os manifestantes e dialogar para que atenda também suas aspirações.

Publicidade
Publicidade

Mas algo diferente está acontecendo. Os movimentos estão pensando apenas em seus interesses próprios e defender um grupo que ficou 13 anos no poder e está envolto de corrupção.

Desordem

Nas últimas manifestações o que se viu foi uma grande "desordem", uma confusão ideológica e um ódio violento. Não podemos generalizar, tem pessoas que foram protestar pedindo um país melhor, mas a maioria só querem uma coisa: que Michel Temer saia do poder, não importa se ele está fazendo bem ou mal para o país.

Alguns grupos estão pedindo novas eleições, mas isso não seria possível agora. Para isso acontecer é necessário que Michel Temer renuncie, o que proporcionará uma maior instabilidade e caos para o país. E as eleições teriam que ser em janeiro, um tempo muito curto para os preparativos.

"Ideologia distorcida"

As organizações ligadas ao PT, como Central Única dos Trabalhadores (CUT), Movimento Sem Terra (MST) e Movimentos do Sem Teto (MTST), possuem um histórico aguerrido e já era esperado as ações deles nas ruas do país.

Publicidade

Eles querem fazer com que as pessoas pensem que o país está à beira de um precipício, induzindo as pessoas, sendo que aos poucos as projeções de melhora estão acontecendo.

Essa ideologia distorcida está sendo divulgada pelo país e se espalhando em repartições públicas e até instituições privadas. Na semana passada, um dos manifestantes declarou que recebeu R$ 50 para promover a "baderna". Sem contar naqueles "mascarados" que destroem o patrimônio e fazem guerra com a polícia. #Manifestação