Uma investigação foi aberta para apurar a divulgação de um anúncio de uma criança através de um site especializado em venda de produtos. A publicação informava as qualidades do menino e estipulava do valor de R$ 100,00.

A polícia do Distrito Federal está apurando a situação. A publicação intitulada como "menino faz tudo", ainda trazia descrição das características da criança, informando que ele sabia andar a cavalo, tinha boa visão, bom olfato, não era preguiçoso, aplicado em seus estudos, tirando boas notas na escola. O post dizia que tudo isso sairia por um ótimo preço, o de R$ 100,00.

O anúncio foi publicado no dia 25 de agosto por uma tia da criança.

Publicidade
Publicidade

Sem dar muitos detalhes, a pessoa responsável pela conta falou que o anúncio foi postado com o intuito de fazer uma brincadeira.

O site da OLX informou que a post que fazia a divulgação da venda do menino foi tirado do ar, assim que a empresa tomou conhecimento.  Quem fez a denúncia da publicidade foi o empresário Sérgio Rabelo. Ele disse ter ficado revoltado com essa brincadeirinha sem graça e afirmou que isso é um absurdo. O empresário tem três filhos e se sensibilizou com essa brincadeira sem graça.

A empresa OLX afirmou que lamenta o que aconteceu e repudia qualquer conteúdo desse tipo, ainda disse que esse tipo de publicação viola o termo e condição de uso da plataforma. A OLX recomenda que os usuários da plataforma denunciem qualquer irregularidade de conteúdo, ou comuniquem à equipe responsável por atender aos clientes.

Publicidade

Assim, a empresa poderá tomar todas as medidas cabíveis.

A OLX informou que recebe cerca de 500 mil anúncios por dia em sua plataforma e tem, aproximadamente, 50 milhões de usuários por mês. A empresa disse que não tem participação direta nas negociações realizadas entre os compradores e vendedores, isso é realizado fora do site.

Ainda não se sabe por qual #Crime a pessoa que fez o anúncio está sendo investigada. O responsável pela conta contou que não recebeu nenhuma notificação da Justiça e afirmou não ter feito nada demais. Segundo o Código Penal Brasileiro, quem prometer ou entregar, de maneira efetiva, o próprio filho a terceiros, sob alguma recompensa, pode ser detido por quatro anos. #Investigação Criminal