Procurado pela Polícia Civil de Blumenau, o principal suspeito de assassinar a companheira, com requinte de crueldade, foi encontrado no Rio de Janeiro após cinco meses de investigação. Gilcimar da Silva Mendes, 31 anos, foi localizado na cidade de Teresópolis. O suspeito foi rastreado depois de fazer ligações ameaçando a família da vítima.

Após ser detido, Mendes confessou o homicídio, mas alegou legítima defesa.

O crime

Juliana Schavetock, 34 anos, morava como Gilcimar há dois anos em uma kitnet no bairro Victor Konder, Blumenau. No dia 7 de abril deste ano, os dois tiveram uma discussão e começaram uma briga. Uma vizinha do casal disse que ouviu gritos de Juliana e depois viu Mendes correndo do local.

Publicidade
Publicidade

Ao chegar no interior do imóvel, a moradora e amiga da vítima viu Juliana caída, com a cabeça desfigurada e no meio de uma poça de sangue. Ela foi levada ainda com vida pelos bombeiros para o Hospital Santa Isabel, mas morreu na manhã seguinte.

Agressões contra mulheres

Segundo a polícia blumenauense, Juliana já tinha feito um boletim de ocorrência por agressão contra Mendes no começo do ano. O delegado Henrique Stodieck Neto disse que, apesar de denunciar o companheiro, a mulher não compareceu no dia da audiência.

A vítima, que era auxiliar de lavanderia, tinha quatro filhos de outro relacionamento. Somente este ano, cinco mulheres já foram assassinadas em Blumenau.  

Segundo dados da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, o Brasil tem 1 denúncia de violência contra mulher a cada 7 minutos.

Publicidade

Denúncias

O número 180 da Central de Atendimento à Mulher recebe denúncias de mulheres vítimas de violência em todo o país. Elas são recebidas e encaminhadas aos sistemas de Segurança Pública e Ministério Público de cada um dos Estados, além do Distrito Federal.  Com o recebimento da denúncia, a central 180 de atendimento à Mulher começa a apuração. As ligações são de graça e o serviço funciona todos os dias do ano e durante as 24 horas do dia. Outro número de telefone que as mulheres podem fazer as denúncias é o 181.

A sessão da Comissão Geral sobre a Violência contra a Mulher ocorrida na última quarta (14) foi marcada pela confusão gerada pelos deputados federais Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), respectivamente pai e filho. Ao se revoltar por não ter pedido de resposta acatado, Jair Bolsonaro subiu à mesa da Casa e cometeu violência verbal contra a deputada Maria do Rosário (PT-RS), que presidia a sessão. Bastante exaltado, o deputado teve que ser contido por outros parlamentares e foi retirado da mesa sob vaias de integrantes de movimentos feministas.

Publicidade

De acordo com a Central de Atendimento à Mulher ("Ligue 180"), os casos de violência contra a mulher subiram 44,74% no ano de 2015, em comparação ao ano anterior. Os números são alarmantes, já que em 2015 foram registradas 76.571 denúncias, contra 52.957, em 2014. O aumento em números foi de 23.614 denúncias a mais em 2015. #violênciacontramulher #Crime #Casos de polícia