O sorteio chamado “zerinho ou um” era praticado por um trio de garotos. O jogo era realizado para decidir quem iria assassinar uma mulher que tinha uma dívida de droga, alguns áudios e vídeos foram divulgados através da internet e estão causando polêmica nas redes sociais.

Os policiais encarregados pelo caso contam que o trio já estava sendo investigado por seis homicídios que aconteceram em Posse, região nordeste do estado de Goiás. Em um dos áudios divulgados, um dos rapazes avisa sobre um dos homicídios e diz: “Ahahaha, subiu que nem balão”.

O celular da namorada de um dos suspeitos foi apreendido pelos policiais, e nele foi encontrado um vídeo mostrando como realmente funcionava esse sorteio, mensagens e áudios em que os jovens se comunicavam entre si sobre os possíveis crimes.

Publicidade
Publicidade

Em uma das mensagens um deles dizia: “Matamos a Joelma só não sei se ela realmente morreu”. Em outra ele contava também que: “Foi morta só com um tiro, já vi gente levar 5, 6 tiros e ainda viver, fazer o que né mano, cada um tem a sua vez”. Além desse homicídio citado nas mensagens, mais dois estão com os inquéritos finalizados, e provam que essas mortes também foram cometidas pelo mesmo grupo.

O grupo que se nomeava como ‘Os três Patetas’, também podem ter cometido mais outros três assassinatos que estão em investigação. Florisvan Guedes da Silva, de 20 anos, foi preso na quarta-feira (14). Já Tharly Oliveira de 28 anos e Douglas Antônio Maciel de 19 anos foram mortos.

Os vídeos

Um dos vídeos divulgados pela Polícia Civil mostra os três homens sorteando “zerinho ou um” ameaçando uma mulher que tinha uma dívida de drogas com o grupo, após o sorteio, o vencedor comemora e sorri dizendo: “Ganhei”.

Publicidade

As imagens mostram Tharly, Douglas, Florisvan e sua namorada, de apenas 16 anos, disputando a morte, quando o namorado da jovem ganha ela diz: “Atira logo na cara, pra sangrar”. De acordo com os policiais, o vídeo foi gravado em maio de 2016, um dia antes da morte da mulher ser confirmada.

Prisão e morte

O delegado que cuida do caso diz que os jovens já tinham mandado de prisão em aberto. Florisvan estava foragido e foi encontrado na casa de um parente. Já Douglas e Tharly acabaram sendo mortos no dia 29 de maio deste ano, quando trocava tiros com a Polícia Militar. Florisvan também vai responder por tráfico de drogas e corrupção de menores. #Brasil #Crime