Briga entre os detentos aconteceu no final da tarde deste domingo dia 16, durante as visitas agendadas. 25 foram mortos enquanto durou o confronto entre as duas facções criminosas na Penitenciária Agrícola de Boa Vista, segundo informações do capitão Falkner, do Bope. Os detentos não liberaram os reféns enquanto todas as exigências não fossem compridas.

"Foi exigido pelos detentos a presença da juíza da Vara de Execuções Penais para que falasse com os presos", disse um comandante do Bope. A guerra entre as facções começou por volta das 17h da tarde quando oito homens da ala 14 estouraram os portões principais da ala 12 e iniciaram a matança.

Publicidade
Publicidade

A guerra entre os detentos se iniciou ainda durante o horário de visitas da unidade prisional do estado. Eles estariam armados com pedaços de pau e facas, de acordo com a mulher de um dos detentos que estaria no meio da confusão do presídio.

A principal entrada que dá acesso ao complexo presidiário foi interditado pelos policiais. Quatro equipes da unidade do Instituto Médico Legal (IML) estiveram no complexo para fazer a perícia e a remoção dos corpos dos detentos e vítimas.

Policiais da Tropa de Choque e Operações Especiais, juntamente com a colaboração dos agentes penitenciários e do Grupo de Intervenção Tática (GIT), se prepararam para entrar na unidade presidiária.

Conforme a situação foi se agravando, equipes do Bope, Serviço de Atendimento Móvel do Samu e agentes penitenciários que estavam de folga foram chamados para dar apoio às demais unidades operacionais.

Publicidade

"Eles não queriam de forma alguma deixar as pessoas que estão presas lá dentro saírem até a chegada da juíza com medo de que a polícia entrasse no complexo presidiário e colocasse ordem na confusão. Foi um momento de extremo risco pois ainda tinha muitos reféns lá dentro", disse um dos oficiais. 

"Muitos deles ainda estão precisando de cuidados médicos, estão machucados e feridos. No momento da confusão, os familiares que estavam ali visitando começaram a correr desesperados. Havia muitas crianças e idosos lá dentro", declarou o comando da PM. #Rebelião #vitimas #Terror entre facções