O Procon/MG – Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor, divulgou um estudo realizado nas marcas de café mais vendidas na região centro-oeste do estado de Minas Gerais. O resultado foi muito preocupante e oito marcas analisadas foram consideradas impróprias para o consumo.

As marcas de café que foram objeto de análise pertencem à região de Divinópolis. O resultado da análise realizada traz um grande alerta para os consumidores da bebida que está na grande maioria dos lares brasileiros. O material analisado apontou adulteração no produto. Foram encontrados vários outros tipos de materiais dentro do café como milho, impurezas, sedimentos, sujeiras.

Publicidade
Publicidade

Também foram identificadas no café, parasitas e larvas. Saber disso faz qualquer um perder a vontade de tomar um cafezinho, não é mesmo?  

De acordo com o estudo realizado pelo Procon, uma das principais irregularidades apontadas foi o grande grau de impureza encontrado, incluindo pedaços de pau, cascas e alguns elementos que decorrem da manipulação dos grãos de café nas plantações. As análises foram feitas nos anos de 2014 e 2015 e das 241 amostras analisadas no estado de Minas, cerca de 30,7%, valor que condiz a 74 marcas analisadas, estão inapropriadas para o consumidor.

A análise também verificou que 4,2% das amostras estudadas têm uma alta concentração de ocratoxina A, substância extremamente tóxica e que provoca câncer. Foi identificado, em alguns casos, que cerca de 6,04% do peso total do café correspondia a elementos estranhos ao produto.

Publicidade

O órgão de proteção ao consumidor está processando administrativamente as marcas que estão irregulares, tendo como objetivo fazer a retirada das marcas e dos lotes impróprios para consumo. O procedimento segue em tramitação na promotoria de defesa do consumidor.

As marcas consideradas impróprias para o consumo foram: Piloão de Minas, Uno, Bedê, Café 262, Café União, Puro Sabor, Camacho e Bom Despacho. Até o momento somente uma marca se pronunciou a respeito da divulgação da análise.

A marca de Café Bom Despacho se pronunciou através de nota afirmando que está há mais de 50 anos no mercado e nesse tempo nunca tinham sido detectadas impurezas em seu produto e acredita que o problemas possam estar relacionados com algum lote específico. #Agricultura #Alimentação Saudável