Um homem de 33 anos foi morto em frente a uma casa noturna na madrugada do último domingo (2), na cidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul.

Câmeras do circuito de monitoramento do estabelecimento registraram o homicídio. Cleiton Almeida foi assassinado a tiros, após sair de uma festa que se realizava no imóvel.

Os disparos de arma de fogo ocorreram exatamente na frente do estabelecimento, que fica em Dourados, a cerca de 214 quilômetros de Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul.

O vídeo mostra um pequeno grupo de pessoas na frente da boate. Na sequência, aparece um rapaz indo embora da festa e sendo abordado por um homem, que atira logo depois.

Publicidade
Publicidade

O assassino é o que veste camisa rosa.

É possível ver que Cleiton tenta fugir quando percebe o que está prestes a acontecer. Ele sai correndo vai para trás de um carro. Continua correndo e chega a atravessar a rua,  mas não consegue escapar. Ele foi alcançado pelo criminoso, que fez mais alguns disparos, e cai logo depois, no canteiro central da avenida. O atirador ainda tem dificuldades para levantar e fugir.

A vítima chegou a ser encaminhada para o hospital, após os primeiros socorros no local. Entretanto, ao chegar na instituição médica nada mais poderia ser feito. Cleiton não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo.

Os seguranças da boate que testemunharam toda a ação foram atrás do carro do suposto assassino, que teria fugido em um carro branco. Os dois vigias tiveram êxito na perseguição e detiveram dois homens.

Publicidade

Porém, de acordo com a polícia, o real suspeito de atirar conseguiu escapar.

Na manhã do dia seguinte ao assassinato, ou seja, na segunda-feira (3), a polícia foi chamada para averiguar um novo provável assassinato. Um homem morto foi encontrado perto da casa noturna e os investigadores buscam saber o cadáver trata-se do suspeito de ter atirado e matado a vítima da noite anterior.

A Polícia Civil ainda não sabe informar o que teria causado os dois crimes, mas há uma suspeita de briga entre gangues rivais na cidade.

#Crime #Casos de polícia