O caso aconteceu na manhã deste último sábado, 22 de outubro, um avião de modelo Cessana 152, decolou do Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis, e seguiu em direção a Porto Belo, no Litoral Norte, sendo atingido por um tiro durante o percurso. O piloto conseguiu pousar a aeronave normalmente, e ninguém ficou ferido.

O avião pertence à escola de aviação Voe Floripa, e estava sendo pilotado por funcionários da instituição. O tiro que atingiu a aeronave foi percebido logo após o pouso, a perfuração acertou a asa esquerda próxima ao tanque de combustível, danificando além da asa o flape.

De acordo o diretor de voo da empresa, Eduardo Faraco, o avião decolou por volta das 10h.

Publicidade
Publicidade

O percurso feito pela aeronave, que saiu em direção à Ilha do Campeche e depois seguiu em direção à região Estácio da Ressaca e do Bairro Carianos, passando pela baía norte da capital. O avião também passou pela cidade Biguaçu, e sobrevoou uma área rural e o bairro Tijucas, que foi um dos locais mais habitados onde a aeronave voou mais baixo a 400 metros até o local do pouso no Condomínio Aeronáutico Costa Esmeralda.

A ocorrência foi registrada pela empresa, na Polícia Civil e Polícia Federal do Aeroporto de Florianópolis. Eduardo argumentou sobre o risco que correu a aeronave, e disse se tratar de um caso de crime federal. O incidente foi informado ao Controle de Tráfego Aéreo, e também as empresas que fazem a fiscalização e investigação de acidentes aéreos a Cenipa e a Seripa. 

Segundo Eduardo, o plot radar do avião será disponibilizado na próxima semana.

Publicidade

Lá ficam gravados os últimos trinta dias da aeronave, e vai ajudar e descobrir a localização mais precisa de onde o avião  sobrevoou e, possivelmente, onde foi atingido. Além disso, o estudo de balística da polícia irá identificar a direção e arma utilizada para acertar a aeronave. De acordo com ele, o mais provável, foi o momento em que a aeronave estaria voando mais baixo e passou por cima do atirador.

A escola de aviação também se manifestou em nota, falando de como estavam chocados com o atentado explícito à segurança da aviação. A empresa ressaltou o grande clima de insegurança que vive o nosso país, que já chegou atingir o transporte aéreo. Ainda no comunicado demostrou preocupação, pois assim como foi atingida uma aeronave de pequeno porte, poderia ser uma aeronave de grande porte, como muitos tripulantes, e uma possível catástrofe poderia acontecer, por conta de ações criminosas como esta.

O site de notícias do G1 procurou neste domingo (23), o Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Florianópolis (DTCEA-FL), para obter maiores esclarecimentos sobre o ocorrido, e para obter informações sobre o funcionamento de segurança do espaço aéreo, mas a equipe foi informada que o departamento de comunicação da empresa só atenderia a equipe de reportagem nesta segunda-feira 24 de outubro. #Brasil #Acidente