As estatísticas de homicídios só crescem no Brasil. E com a internet, muitos casos acabam sendo compartilhados e virando de conhecimento público, aumentando a sensação de insegurança.

Está circulando nas redes sociais um vídeo que flagra o exato momento em que um homem é executado a luz do dia. A vítima é o borracheiro Wallace Dias dos Santos.  Ele foi baleado, na última quinta-feira (27), por volta das 10 horas, numa área rural de Goiânia.

Moradores estão apreensivos com o #Crime, que repercutiu significativamente na região.

Nas imagens é possível ver o homem, de 25 anos, sendo assassinado em uma plantação de milho, localizada no Setor Itatiaia.

Publicidade
Publicidade

Ele está ajoelhado quando os disparos são feitos. Segundo as autoridades policiais, é possível ouvir o ruído de três disparos. Nesse momento, a vegetação encobre o alvo e apenas o atirador aparece.

O titular da delegacia que acompanha as investigações, Matheus Melo Ribeiro, informou que o homem baleado estava na borracharia com o amigo e sócio quando dois indivíduos apareceram. Eles estavam armados e já chegaram procurando a vítima, que ao perceber de quem se tratava clamou para que não atirassem.

O outro proprietário do estabelecimento conseguiu se refugiar no banheiro do imóvel e saiu ileso. Wallace, por sua vez, optou por sair para fora do comércio, em direção aos pés de milho. Ele tentou correr e pedir socorro, mas um dos bandidos o perseguiu e conseguiu efetuar os disparos. Imediatamente depois, os dois embarcaram em um veículo e se evadiram.

Publicidade

Todas as cenas foram feitas por um popular e publicada nas redes sociais. A borracharia fica próxima a uma estrada. As imagens, gravadas do outro lado da pista, estão em poder da polícia, mas os investigadores ainda não conseguiram localizar o cinegrafista amador, que pode ajudar dando um depoimento sobre o que presenciou.

Os agentes policiais ainda não têm pista da identidade dos autores. Eles também ainda não trabalham com nenhuma linha de investigação que possa sinalizar a motivação para o assassinato.

#Casos de polícia