Neste domingo, 30, o 'Fantástico', da Rede Globo de Televisão, exibiu uma ampla reportagem sobre um caso que chocou a Espanha. Os detalhes exibem como o brasileiro François Patrick Nogueira Gouveia viajou ao exterior apenas para assassinar a própria família. Ele, que desde o princípio era um dos suspeitos, demorou exatamente dois meses para confessar tudo o que fez. Antes da confissão do assassinato dos tios e primos, no entanto, conversas entre François e seu melhor amigo, Marvin Henriques Correia, que estava na Paraíba quando aconteceu o #Crime, foram reveladas. 

O conteúdo já está sob o poder da Polícia Federal. Nas conversas, o assassino que esquartejou os parentes relata praticamente de forma simultânea como tudo aconteceu.

Publicidade
Publicidade

Ele chega a escrever que acreditou que não teria coragem de fazer aquilo, sentir nojo, mas que era um 'doente" mesmo. A polícia explica que o rapaz que ficou no Brasil, mesmo não tendo matado ninguém, também responderá por participação no crime. Isso porque as conversas deixam claro que ele incentiva o assassino a realizar o crime. Em momentos que François parecia exitar, Marvin dizia que não era para parar agora. Ele também deu dicas de qual seria a melhor hora para o rapaz, de classe média, deixar a casa dos tios. 

Os primeiros mortos foram a tia e as duas crianças. O jovem ficou na casa esperando apenas que o tio aparecesse e fez o mesmo com ele, o matou e o cortou em pedaços. Fotos dele com pedaços dos corpos dos familiares foram compartilhadas com o amigo, que sequer se deu o trabalho de apagar as mensagens.

Publicidade

Ele emprestou o celular para um amigo, que ao mexer no aplicativo descobriu tudo. Ao invés de procurar a polícia, essa pessoa preferiu colocar os prints das conversas na internet. Era a prova que os policiais precisavam. 

Nas conversas, François dizia que queria ser preso na Espanha, pois lá ficará em uma cela ampla e sozinho. O rapaz contou já de volta ao exterior que teve um impulso sem controle de vontade de matar e que planejou isso por muito tempo. #Investigação Criminal