Todos sabemos o quanto é importante estarmos sempre muito atentos aos sinais, desde os menores e quase imperceptíveis, até os mais obvio, mas que nem sempre alguns pais percebem devido a correria do dia a dia. 

Os pais dessa garota vinham notando de tempos para cá alguns desenhos muito estranhos e suspeitos que ela estava fazendo e resolveram investigar. A menina de apenas 5 anos mora em Monte Claros, no estado de Minas Gerais, e já há algum bom tempo ela estava com um comportamento bastante estranho. 

Assim que os pais notaram que a garota andava muito diferente, já não era a mesma de antes, eles procuraram ajuda de um profissional terapeuta em busca de uma resposta. 

Essa psicologa pediu para que procurassem nos objetos e nas coisas da menina provas substanciais, e foi quando eles viram os desenhos com duas pessoas e sempre com as mesmas características, uma pessoa rindo e outra chorando, um em cima da outra. 

Durante a Investigação, os policiais descobriram que a menina parou de estudar em 2015, e resistiu muito para retornar dizendo que o titio João fazia besteiras e a deixava muito mal.

Publicidade
Publicidade

Com a ajuda da terapeuta, e juntamente de um pastor da igreja, eles questionaram com embasamentos e propriedade o pedófilo "João da Silva" e conseguiram que ele confessasse o ato criminoso. 

Ele disse que cometia os assédios dentro da igreja após as aulas de inglês que ele lecionava para a turma. 

Contou alguns detalhes horríveis e revoltantes, ele colocava ela no berço deixava ela nua e praticava atos sexuais, como sexo oral. Tudo sempre de porta trancada com chaves para que ninguém o surpreendesse em meio ao ato repugnante.

O pedófilo, que morava com a irmã, mandou um advogado ate a delegacia antes mesmo da justiça autorizar busca e apreensão do criminoso.

Embora ele tenha confessado para os pais todo o ato sexual com a menina, ele negou tudo na delegacia, pois como disseram os investigadores, ele já deve estar sendo instruído a negar tudo pelo advogado.

Publicidade

A menina disse para os investigadores que era frequentemente intimidada pelo acusado, ele falava que sabia onde ela morava e que facilmente daria um jeito em tudo caso ela o denunciasse.  #Abuso #Pedofilia #Pedofilo