Comumente é visto pessoas sendo agredidas, hostilizadas e até mortas por conta de boatos criados na internet, em escolas e vizinhanças. Nessa semana, um gari que trabalhava no Espírito Santo, foi alvo de uma mentira mortal contada por um menor de idade.

O adolescente, conhecido na região como um garoto “barra pesada”, teve uma discussão com o gari e decidiu se vingar. Joel, o gari de 45 anos, era querido pela comunidade e vivia em uma casa simples com a esposa e os dois filhos. O adolescente decidiu procurar os traficantes do bairro e inventar que Joel estava realizando atos libidinosos na frente de crianças e mulheres da comunidade.

Publicidade
Publicidade

Essa mentira foi o suficiente para que um grupo de pessoas decidissem fazer “justiça” com as próprias mãos. Como são criminosos, não pensaram em chamar a polícia, apenas abordaram a vítima e começaram a espancá-lo.

O delegado da cidade de Serra, responsável pelo caso, confirmou que o assassinato foi baseado em uma mentira inventada por um dos adolescentes apreendidos pelo #Crime. Também informou que o assassinato de Joel causou grande comoção e revolta entre os moradores do bairro, que gostavam da vítima e afirmaram que ele jamais cometeu tal crime, sendo querido por todos.

Além de adolescentes, a polícia também prendeu um traficante, maior de idade. Esse criminoso confessou que foi ele quem tirou Joel de sua casa para começar o espancamento. Em depoimento, contou que ele chamou Joel para conversar, mas que o gari não quis conversa, ocasião em que ele aproveitou que o portão da casa de Joel estava aberto, entrou, o ‘abraçou’ e disse que eles tinham que conversar.

Publicidade

O criminoso contou também que queria fazer "justiça" com as próprias mãos, mas depois de ver a vítima, sem qualquer defesa caída no chão, “achou” que não devia fazer aquilo, entretanto, já era tarde demais e Joel já havia sido espancado.

Após ser cruelmente espancado, Joel foi socorrido e levado para um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito dois dias depois do crime. A notícia abalou sua família de maneira intensa, a ponto de uma cunhada da vítima ter vindo a óbito poucos dias após Joel ser espancado. #Violência #Casos de polícia