É assustador como está aumentando o número de crimes que têm relação com os relacionamentos amorosos, ou melhor, com o fim dos relacionamentos amorosos. Algumas pessoas não estão aceitando quando o companheiro resolve colocar fim em relacionamento e partem para a violência física, agredindo seu ex ou, até mesmo, tirando a sua vida. 

Um rapaz de 24 anos, morador de #Irati, no Paraná, invadiu a casa de sua ex-companheira na noite deste domingo (02), e depois de agredi-la foi morto pelo pai da mesma.

De acordo com a Polícia Militar, Juliano Joares Fernandes entrou na casa por volta da meia noite, pela parte de trás da casa.

Publicidade
Publicidade

Segundo as informações houve um bate boca entre os envolvidos na confusão e o rapaz agrediu a ex- companheira.

O pai da moça, que é cadeirante, fez uso de uma pistola para contê-lo, atirando no mesmo. Juliano não resistiu aos ferimentos e veio a óbito no local do #Crime. O corpo do rapaz foi levado para o IML - Instituto Médico Legal - da cidade de Ponta Grossa, depois do local ser periciado pela Polícia Civil. 

Todas as pessoas que testemunharam o crime foram encaminhadas para a delegacia da cidade para prestar depoimento. A Polícia apreendeu a arma do crime. Não foram passadas informações sobre prisões neste caso. A Polícia Civil local está investigando a situação.

Casos de violência passional

Infelizmente, são muitos os casos de vítimas de relacionamentos doentios nos noticiários diários.

Publicidade

Na última semana, um caso brutal de violência física chocou a cidade de Cariacica, no Espírito Santo. Uma mulher, de 45 anos, foi muito agredida pelo companheiro de 52 anos, pois queria terminar o relacionamento de 4 anos.

As imagens da mulher com o rosto todo roxo ganhou as redes sociais e revoltou a muita gente. Como se não bastassem as agressões físicas, o homem também ameaçou a mulher de #Morte. Segundo a decisão da Justiça da cidade de Cariacica, o homem poderia aguardar a decisão em liberdade, a sorte dessa mulher é que ele possuía um mandado de prisão em aberto, expedido na cidade de Curitiba e, por isso, foi parar atrás das grades.