Depois que um vídeo contendo cenas de agressões a um rapaz em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, se espalhou em todo o País, os desdobramentos saíram do controle. O caso alcançou tamanha proporção que um jovem, sem nenhum vínculo com a situação, está confundido com um dos agressores e passou a receber ameaças de morte.

Magno Ishikawa, 30 anos, é a vítima da confusão. O homem teve seu número de celular identificado levianamente como sendo do real agressor que aparece no vídeo, chamado Jhonny Celestino Holsback Belluzzo, de 19 anos. Depois disso, não param de chegar em seu aparelho ameaças de morte. As mensagens começaram às 16 horas da última segunda-feira (4).

Publicidade
Publicidade

Ele não sabe explicar o que teria causado a confusão e o que fez seu número ser divulgado como sendo o do rapaz envolvido na briga. O fato é que ele tem perdido bastante tempo para explicar que seu nome não é Jhonny e que ele nada tem a ver com a situação.

Magno estima que já foram mais de 5 mil mensagens no celular com o mesmo teor ameaçador, além de cerca de 300 ligações. Em todas elas, seja por texto ou por áudio, a mesma explicação é dada. “Não sou quem vocês pensam que eu sou”.

Ele ainda teve de ler 1098 conversas no Whatsapp tratando do assunto, e intervir sempre que alguém insistia em confundi-lo com a pessoa errada.

Indignado por ser receptor de tanta revolta e raiva, ele diz que sua vida virou um inferno. O maior temor é que além do contato telefônico, sua imagem também acabe viralizando, atrelada à identidade do agressor.

Publicidade

Magno procurou a polícia para relatar o caso, na tentativa que descubram o responsável por espalhar a informação falta. À imprensa, ele apelou para que as pessoas parem de compartilhar coisas sem ter certeza.

Para dar uma ideia do teor assustador das mensagens, ele diz que a primeira pessoa que o procurou disse que ele ia morrer. Há pessoas de todas as partes do Brasil incomodando o jovem, que reza para que os cidadãos pensem muito antes de acusar terceiros sem provas.

O caso

O vídeo que ganhou repercussão nacional mostra um ataque ocorrido no último dia 18 de setembro. Nas imagens, dois jovens agridem violentamente um terceiro rapaz porque ele teria urinado no carro de um dos agressores. As imagens foram compartilhadas em grupos de WhatsApp e viralizaram.

O outro agressor, além de Jhonny Celestino, é Alessandro Ronaldo Mosca Junior, de 21 anos. Ambos vão responder por tentativa de homicídio.

#Crime #Internet #Casos de polícia