Uma garota de apenas 14 anos foi encontrada morta. Em seu corpo, sinais do estupro sofrido. O #Crime bárbaro que aconteceu em Catanduva, São Paulo, chocou a todos e fez com que a mãe, desolada, clamasse por justiça: "Judiaram da minha menina". Sem esperança de que haverá justiça, a mãe da jovem assassinada disse acreditar somente em Deus. A polícia informou que a adolescente foi em uma festa com os amigos e ingeriu uma grande quantidade de bebida alcoólica. Ela estava do lado de fora do local onde a festa acontecia e os amigos teriam ido buscar água para ela tomar e ver se melhorava, mas ao voltarem não teriam mais encontrado a garota.

A polícia informou ainda que já conseguiu o depoimento de algumas testemunhas que viram ela deixando o local com um homem que, até o momento, não foi identificado.

Publicidade
Publicidade

A mãe da vítima não acredita que tenha acontecido isso e disse que a filha não fazia uso de bebida alcoólica e que alguém dever ter colocado algo na água e dado a ela.

Ciente de que a filha tinha ido à festa, a mãe contou que só concordou porque ela estava acompanhada de uma grande amiga. A mulher contou como foram os últimos momentos com a filha viva: "Ela me deu um beijo antes de sair e disse que me amava".

A mãe da amiga foi quem levou as duas garotas à festa e ficou de buscá-las depois. A história contada pela mãe não está de acordo com a versão dada pela polícia. Maria Aparecida disse que a informação que ela teve foi de que a filha estava normal na festa, inclusive conversou com um primo que também estava lá, mas depois foi vista com um grupo de pessoas e estava tomando água, mas começou a passar mal e saiu da festa.

Publicidade

"Me disseram que ela estava na calçada, será que ninguém viu ela lá, caída?", questiona a mãe sem entender o que de fato teria acontecido.

O tio da garota estuprada e assassinada também acredita que ela tenha sido dopada na festa. Ele contou que a jovem nunca fez uso de álcool e que agora está morta, assassinada de forma brutal.

Um jovem que esteve na festa contou que não tinha bebida alcoólica no local, pois era um evento realizado para menores, com a intenção de conseguir dinheiro para a compra de uma fotocopiadora que seria utilizada pelo Instituto Federal, local em que eles estudam. Esse jovem contou que a garota, assim como outros participantes da festa, foram para fora, em um local onde havia bebida alcoólica.  Ele tentou ajudá-la, foi buscar água para ela, mas ao voltar já não a encontrou. #Estupro #Violência