Os usuários do Facebook que se preparem, porque a maior rede social do mundo ficará 24 horas fora do ar, pelo menos para nós, brasileiros. Foi o juiz eleitoral, Renato Roberge, de Joinville, Santa Catarina, que determinou a suspensão dos serviços da empresa por 24 horas, e a determinação é válida para todo o território nacional. De acordo com o juiz, o #Facebook descumpriu a lei, pois manteve online uma página onde era possível encontrar ofensas a um dos candidatos à prefeitura daquela cidade.

A página "Hugo Caduco" trazia várias piadas com o candidato do PMDB e a #Justiça Eleitoral ordenou que o Facebook a bloqueasse imediatamente, para que não pudesse mais ser acessada, só que a determinação não foi cumprida pela empresa.

Publicidade
Publicidade

Ao ver que a página ofendendo o candidato Udo Döhler ainda encontrava-se online, o juiz solicitou à Anatel - Agência Nacional de Telecomunicações, a imediata desativação dos serviços. O pedido foi feito na última quarta-feira, dia 05, só que até agora a Anatel não deu uma posição a respeito.

O juiz não só quer que o Facebook fique fora do ar por 24 horas, como também exige que a rede social coloque um aviso, informando a todos os usuários que tentarem acessar sua conta durante o período, que o bloqueio do site de deu devido ao descumprimento da legislação eleitoral.

A questão agora é que o Facebook acabou acatando a ordem do juiz e retirou do ar a página "Hudo Caduco", só que fez isso com atraso. Por isso não sabe se terá ou não que cumprir a punição de ficar com os serviços indisponíveis pelo prazo de 24 horas.

Publicidade

A legislação eleitoral brasileira não permite que seja realizada propaganda ofensiva, ou que exponha algum candidato ao ridículo, e era isso que vinha sendo feito na página criada no Facebook. O juiz garantiu não ter dúvida alguma de que tal página descumpre o que manda a lei, e até citou uma postagem onde diz que Udo "estudou ditadura militar na instituição Gestapo".

O candidato ofendido, em página no Facebook, está disputando o segundo turno em Joinville e acredita que poderá até ser prejudicado, por causa do descumprimento da lei por parte da rede social. #Crime