O Supremo Tribunal Federal manteve a decisão de mandar para a cadeia os réus que forem condenados na primeira e também na segunda instância do Judiciário e, com isso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acabou ficando bem mais perto de dar adeus à sua liberdade. Todos sabem que o juiz Sérgio Moro é muito rigoroso e, se decidir por uma sentença condenatória que for aprovada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, aí dificilmente o petista conseguirá se manter fora da prisão.

Lula pode até recorrer aos Tribunais em Brasília, que ainda assim, terá que continuar na cadeia, aguardando por uma decisão à sua apelação, ou seja, #Lula está bem mais perto de ser preso do que se imagina.

Publicidade
Publicidade

A decisão tomada pelo Supremo nesta quarta-feira (05) acabou entrando para a história. Vale ressaltar que no primeiro bimestre deste ano, a Corte Suprema decidiu por um placar de 7 a 4, que todos aqueles que forem condenados na segunda instância devem ir para a prisão e sem demora. Na ocasião, a OAB até recorrer, assim como o Partido Ecológico Nacional, mas em vão.

Dessa vez, o placar foi de 6 a 5, realmente bem mais apertado, mas o resultado é o mesmo e, assim, o Supremo optou por manter a decisão tomada em fevereiro. Lula já pediu para que os três processos contra ele sejam enviados para Brasília e não permaneçam mais em Curitiba.

Quando a #Lava Jato começou, há cerca de 2 anos e meio, muitos apostaram que era questão de tempo para que ela fosse esquecida e engavetada, mas hoje, com a operação seguindo com força, é muita gente poderosa preocupada e já sem saber o que fazer.

Publicidade

Os planos dos envolvidos de conseguirem "estancar a sangria" não deram certo e a Lava Jato vem mostrando uma outra cara do Brasil, a de um país onde a corrupção é punida.

Para a defesa, prisão na segunda instância viola a constituição, onde ninguém pode ser considerado culpado, antes do julgamento da condenação. Acontece que isso não condiz com a realidade brasileira, onde mais de 700 mil presos ocupam cerca de 360 mil vagas, tendo que se espremerem para caber todo mundo e pelo menos 40% deles estão ali de forma provisório, já que não foram julgados na primeira instância, em boa parte das vezes. #Sergio Moro