Neste domingo, 30, aconteceram as #Eleições nas cidades em que tiveram o segundo turno para candidatos a prefeitos. O município com o maior número de eleitores nessa etapa foi o Rio de Janeiro. Na cidade Maravilhosa, disputavam dois Marcelos, o Freixo, do PSOL, e o Marcello Crivella, do PRB, partido ligado à Igreja Universal do Reino de Deus. Durante toda a campanha, a discussão de ambos era em torno de fé e política. Freixo indicava que Crivella seria preconceituoso e mostrou vídeos que supostamente provariam isso. Já o bispo da Universal diz que não misturava as coisas e que venceria o preconceito. 

Com forte taxa de abstenções, nulos e brancos, que representaram quase 50% dos votos totais, o carioca acabou escolhendo com 59% dos votos válidos Crivella.

Publicidade
Publicidade

Não demorou muito para que um dos apoiadores do bispo, Silas Malafaia, utilizasse as redes sociais para comemorar a vitória do político religioso. Através de seu Twitter oficial, o pastor da Igreja Vitória em Cristo polemizou e disse que venceu a Globo e a desinformação. 

Nas mensagens que foram rebatidas e compartilhadas na rede social, Crivella insinua que Freixo e o PSOL seriam o "capeta". Ele ainda ironiza o que chama de ativismo gay, falando para Freixo pedir mais ajuda desse tipo de eleitorado. As frases do pastor sobraram até para o Tribunal Regional Eleitoral, que em pouco mais de uma hora disse quem era o vencedor, mas que para o religioso está lento demais. 

Veja as publicações feitas pelo pastor da igreja evangélica Vitória em Cristo. Nesta mensagem, ele manda o Capeta e Freixo chorarem:

Já no tweet a seguir, Malafia diz que ajudou Crivella a vencer a eleição no Rio.

Publicidade

Ele ainda é irônico ao falar de um suposto ativismo homossexual.

Para o religioso, a vitória do bispo da Universal mostra uma vitória sobre o preconceito contra a igreja. 

Ele ainda elogiou os cariocas, especialmente os evangélicos, por seus votos no sobrinho de Edir Macedo. 

Antes de comemorar bastante, Silas criticou o que chamou de apuração feita à manivela pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ).