A polícia militar aprendeu um adolescente, na manhã desta sexta-feira, 7 de outubro, e, com ele, encontraram uma lista que continha os nomes de pessoas que seriam executadas pelo menor, na cidade de Marcolândia, localizada a 414Km de Teresina. Com a apreensão do adolescente, a Polícia Militar pode desenrolar um #Crime que aconteceu no dia 26 de setembro, em Pernambuco, onde um senhor, identificado pelo nome de Antônio Ribeiro Leal, foi encontrado morto dentro de uma cisterna na Zona rural de Araripina.

Segundo o comandante da Polícia Militar, Francisco de Assis, o menor confessou o crime e afirmou ter sido contratado pelo filho da própria vítima, Antônio Leal.

Publicidade
Publicidade

Segundo o adolescente, ele e um comparsa realizariam o crime e receberiam uma importância de 6.000 mil, pelas mortes do senhor Antônio e sua esposa. Porém, no dia do assassinato, quando chegou à casa da vítima, ele estaria sozinho, pois a esposa teria ido ao centro da cidade realizar compras. O homem morreu após ser enforcado, pelos menores infratores e depois teve seu corpo jogado em uma cisterna, próxima da casa da vítima.

O menor ainda informou que teria recebido do filho do senhor uma quantia de 3.000,00. Disse que só receberia os outros 3.000,00 quando matasse a viúva da vítima. O crime estava premeditado para essa semana. Mas a Polícia Militar de Marcolândia conseguiu chegar antes e apreendê-lo.

De acordo com Francisco, o adolescente informou que o filho do senhor Antônio Leal teria encomendado o crime para poder ficar com a herança do pai.

Publicidade

Em depoimento, o menor revelou ainda que ele e seu comparsa, também menor de idade, já tinham outras mortes encomendadas. Por cada uma, ele cobrava valores diferentes. Ele e seu comparsa moravam numa casa no meio da mata. E eram contratados para cometer homicídios e assaltos. Em sua lista constavam 5 vidas que estariam encomendadas. Revelou também que estava preparando uma dinamite para detonar na delegacia de Marcolândia. O celular do menor infrator continha fotos dele exibindo dinheiro fruto de pagamento das vidas que ele tirava.

O comparsa dele foi morto com um tiro na cabeça nesta quarta-feira, 5 de outubro. O adolescente detido contou que eles brincavam de roleta russa, e que o próprio comparsa havia disparado contra a própria cabeça. Porém, a polícia desconfia que ele tivesse sido o autor do disparo, pois o laudo pericial informou que a vítima era canhota. E o tiro teria vindo do lado direito.

O tenente declarou que, mesmo que a vítima tenha morrido numa brincadeira entre os dois, o autor do disparo teria sido mesmo o menor apreendido.

O adolescente foi transferido para a delegacia de Simões, que dará continuidade nas investigações sobre o caso. #Casos de polícia