Uma mulher de 34 anos, que trabalha vendendo roupas, nunca mais irá esquecer os momentos que passou nas mãos de 10 estupradores. Ela foi violentada em uma região de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, conhecida como Lagoinha.

A mulher está há mais de 4 anos sofrendo estupro coletivo, constantemente, e contou que os marginais são traficantes que atuam na região.

A mais recente #Violência sexual sofrida por ela foi nesta última segunda-feira (17), durante a madrugada. Dez homens, entre eles adolescentes, a renderam, só que os criminosos acabaram sendo surpreendidos pela polícia. Oito conseguiram fugir e dois foram apreendidos, sendo justamente menores de 18 anos.

Publicidade
Publicidade

Desde que sofreu o quarto estupro coletivo por esse mesmo grupo, a mulher já não consegue nem dormir. Ela que é mãe de três adolescentes, sendo uma de 12, outra de 13 e a mais velha de 14 anos, teme pela vida da próprias filhas.

A vítima contou aos policiais que estava em um bar conversando com um amigo, já de madrugada, quando quatro homens chegaram e a mandaram ir para o banheiro. O amigo ainda tentou defendê-la, mas eles disseram que o grupo é "quem manda nela". Chegando no banheiro, ela foi obrigada a fazer sexo oral nos quatro estupradores.

Como se não bastasse, os criminosos levaram a mulher para fora do bar, para um local escuro, próximo dali, onde começou a ser abusada e torturada. Ela implorava para que parassem, mas eles estavam cada vez mais violentos. Outros homens foram chegando e quando ela percebeu o grupo já contava com 10 estupradores, todos abusando e dizendo que se continuasse gritando, iriam matá-la e jogar o corpo em um valão.

Publicidade

A sorte dela é que uma viatura da Polícia Militar passou por ali e, assim que os estupradores viram, saíram correndo. Um dos marginais alertou os outros e todos correram para um matagal ali perto. A vítima foi encontrada chorando muito, nua, e um dos policiais chegou a ver dois menores próximos ao local, que acabaram sendo abordados e presos, após serem reconhecidos pela mulher.

A polícia tem feito várias diligências para tentar encontrar os outros estupradores. #Estupro #Crime