Seria cômico se não fosse trágica a prisão de uma dona de casa em Rio Branco, no Acre. Darlene Nogueira de Lima, de 44 anos, não sabia que tinha em seu quintal alguns saudáveis e vistosos pés de maconha.

Ela cuidava das plantas como se fossem coentro. Pelo menos foi o que ela relatou às autoridades policiais, antes de ser presa em flagrante no fim da tarde da última quinta-feira (06).

Impossível não imaginar Darlene cozinhando e cortando coentro para colocar no ensopado ou no cozido, achando que estava temperando o almoço com condimentos direto da horta doméstica.

O fato é que o cultivo da maconha chamou a atenção dos vizinhos, no bairro de Montanhês, mais precisamente na Travessa Vitória.

Publicidade
Publicidade

Pudera, já que os pés de maconha tinham mais de um metro de altura.

As equipes que fizeram o flagrante, do 5° Batalhão de Rio Branco, explicaram que foram até o local após receberem uma denúncia anônima. O denunciante disse que achava que na casa ocorreria venda da droga. Não há, no entanto, informações oficiais confirmando a tese.

Os policiais chegaram na residência e constataram o flagrante relativo ao cultivo da erva, prenderam Darlene e apreenderam uma adolescente de 17 anos.

Elas foram levadas para a Delegacia Central de Flagrantes e ao depor a dona da casa reforçou que não tinha ideia de que aquilo era um pé de maconha. Ela disse que acreditava ser um pé de coentro.

Não é possível atestar por hora se a mulher está falando a verdade ou não. Mas já houve casos semelhantes a este.

Em 2012, por exemplo, um casal de idosos da Inglaterra acabou virando notícia pelo mesmo assunto.

Publicidade

Eles cultivavam com todo o carinho um enorme pé de maconha no jardim da residência onde viviam.

A casa fica em Bedford, no interior do Reino Unido. Eles disseram não saber que se tratava uma espécie ilegal. Os agentes policiais da cidade ficaram perplexos com o tamanho das plantas e disseram que nunca haviam visto pés daquele tamanho antes.

Apesar da repercussão, os idosos não foram processados, pois ficou constatado na época que eles realmente não tinham noção do que tinham no jardim.

#Crime #Casos de polícia