Mais um caso chocante aconteceu próximo a uma escola no bairro Visão, em Lagoa Santa, na região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais. Um casal, pais de um menino de 9 anos, arrastaram a criança para fora da escola, e a espancaram, pois o menino teria batido no filho deles.

A ação criminosa foi filmada por um funcionário público que passava no local, no momento da agressão. Segundo a vitima, ele relatou que brincava na quadra da escola, quando a mãe de seu colega de 9 anos chegou, o pegou pelo braço, e o arrastou para fora da escola. Do lado de fora, as agressões continuaram. O casal e o filho agridem o menino de 10 anos, com socos e chutes.

Publicidade
Publicidade

A vítima chora copiosamente e as agressões prosseguem. A criança é forçada a entrar no veículo, onde ele tenta resistir, recebendo mais socos e pontapés.

Outras crianças que estão em volta presenciaram a sessão de espancamento ao garoto, que é jogado à força dentro do veículo e levado pelo casal.

Eles levaram a criança até a Companhia da Polícia Militar (PM) de Lagoa Santa. Ao chegarem lá, somente a mulher entrou com as duas crianças, e falou aos policiais que queria registrar um Boletim de Ocorrência, pois o filho dela teria sido agredido pelo colega. Os militares decidiram então ir buscar a mãe do garoto de 10 anos, para acompanhar a ocorrência.

Glauciene Andrea Pereira, mãe da vítima, disse que estava na padaria onde trabalha, quando os policias chegaram, pedindo que ela os acompanhasse até a Companhia da Polícia Militar, pois, seu filho teria aprontado.

Publicidade

Glauciene informou ao site de notícias R7, que ela, o filho, a outra mãe e o outro garoto, foram transportados de viatura até uma delegacia da Polícia Civil. O delegado plantonista ficou chocado quando viu os quatro lá. Segundo ela, o delegado disse que as crianças não poderiam ter sido transportadas de viatura até a delegacia.

De acordo com o delegado, não havia possibilidade de registrar uma ocorrência já que a vítima tinha 9 anos e o agressor apenas 10 anos. O correto seria realizar uma ocorrência posterior em uma companhia de Polícia Militar.

A mãe da vítima, até então, não sabia das agressões que o filho sofreu pelo casal. Ela só viu as imagens no dia seguinte ao fato.

Em entrevista à emissora da Record, Glauciene se entristece e chora, ao falar da barbaridade que foram as agressões contra a criança. Ela afirma que jamais imaginaria que aconteceria aquilo com seu filho. “Na verdade, eu não gosto nem de ficar olhando o vídeo, foi muita maldição que fizeram com meu filho, foram muitos socos e pontapé”, disse ela emocionada.

O menino fez um exame de corpo de delito, o Conselho Tutelar foi acionado. O casal foi denunciado e responderá pelas agressões à criança.

#Crime #Investigação Criminal