Na manhã desta terça-feira, a #Polícia Federal deu início à operação "For All", que tinha como principal foco a banda cearense, Aviões do Forró. A intenção da operação da PF é averiguar possíveis suspeitas de sonegação de impostos, e para isso, foram expedidos 32 mandados de condução coercitiva e 44 mandados de busca e apreensão, a serem executados nas cidades de Fortaleza e Russas, no Ceará, e na cidade de Souza, na Paraíba.

De acordo com as investigações, o grupo responsável pela administração da banda poderia estar emitindo dados falsos e omitindo informações vitais em declarações do Imposto de Renda, sendo calculado pela Receita Federal um montante equivalente a 300 milhões de reais em sonegação de impostos, dos quais 120 milhões foram sonegados apenas com bandas de forró do grupo, fora a banda "Aviões do Forró" e "Solteirões do Forró".

Publicidade
Publicidade

Além dos crimes de sonegação, ainda há a suspeita de falsidade ideológica, lavagem de capitais e associação criminosa.

Como uma maneira preventiva até que tudo seja esclarecido, a Justiça ordenou o bloqueio de bens pessoais como imóveis e veículos de pessoas ligadas ao A3 Entretenimento. Além disso, também houve a quebra de sigilo fiscal, que foi primordial para a identificação de pessoas físicas e jurídicas envolvidas no esquema de sonegação. As investigações apontam ainda para bens não declarados como imóveis e automóveis, dados bancários incompatíveis com valores declarados entre outros.

De acordo com a Polícia Federal, o nome "For All" (Para Todos) é uma referência a antigos bailes oferecidos por engenheiros britânicos, que no início do século XX, se encontravam instalados no norte do país, trabalhando na construção da ferrovia Great Western.

Publicidade

Estes bailes eram abertos ao público, daí o nome "For All" (Para Todos), que mais tarde daria origem ao gênero musical do Forró.

Embora não seja um fato confirmado, a banda adiantou em um de seus trabalhos que poderia vir a ser alvo de investigações da polícia. A música foi chamada de "Corra que a Polícia Vem Aí". #Polêmica #Imposto de Renda