Graças à prisão de dois rapazes pela Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone), em Teresina, mais um homicídio foi evitado no Piauí.

A Rone prendeu os suspeitos na noite da última quinta-feira (29/09) por porte ilegal de arma de fogo, no bairro São Pedro, localizado na Zona Sul de Teresina.

Ao perceberem a atitude suspeita dos dois elementos a bordo de uma motocicleta, os agentes policiais resolveram fazer a abordagem e descobriram que os acusados estavam procurando um homem. O objetivo era matá-lo. Eles inclusive confessaram que tinham planejado o acerto de contas.

Conforme o comando da Rone, os suspeitos alegam que tinham sofrido um atentado na comunidade de Timon, onde moram, e que também por isso estavam em busca do revide.

Publicidade
Publicidade

Um dos suspeitos afirmou que o alvo da tentativa de homicídio tinha roubado a moto de sua mãe. Ele teria achado o veículo da família com o desafeto. “Fui cobrar o vacilo. Ele foi roubar mãe de ladrão. Não dá certo não”, disse à imprensa.

Segundo a Rone, o elemento tem passagem por assalto à mão armada. Os policiais suspeitam que além do homicídio, eles estivavam pensando em praticar assaltos, já que estavam armados. Eles negam. “Era só o desafeto mesmo. Ia gastar os três caroço (sic) e pronto. Roubou mãe de ladrão, vacilou. Tem que pegar mesmo”, disse.

O acusado assumiu que queria matar o seu alvo e livrou o colega do plano. Disse à imprensa que o comparsa só estava indo junto como “piloto”. O colega confirmou a versão, mas admitiu que sabia dos planos do parceiro.

Com a dupla os policiais apreenderam um revólver calibre 32, uma arma que não tem tanto poder de fogo, mas que se usada corretamente pode ser letal.

Publicidade

Os dois presos foram conduzidos até a Central de Flagrantes de Teresina. Seus nomes não foram divulgados.

As equipes da Rondas Ostensivas de Natureza Especial foram destacadas para as ruas da capital do Piauí para reforçar o policiamento, já que parte do efetivo da Polícia Militar foi direcionada para os municípios do interior do estado, por conta das eleições.

#Crime #Casos de polícia