O jovem  François Patrick Gouveia, resolveu se entregar a polícia espanhola. Ele é suspeito de esquartejar uma família brasileira na #Espanha. O jovem partiu da cidade de João Pessoa na noite desta terça-feira (18), e foi preso logo que desembarcou no aeroporto em Madri. A Guarda Civil espanhola publicou um vídeo que mostra a chegada do suspeito no momento do desembarque em um aeroporto situado na cidade de Madri.

O advogado de François Patrick Gouveia destaca que o mesmo resolveu se entregar depois de acertar um acordo com a polícia da Espanha, por ele não ter nenhum mandado de prisão aberto no Brasil, ele pode viajar sozinho sem o acompanhamento da polícia.

Publicidade
Publicidade

Patrick é sobrinho do chefe da família, Marcos Campos Nogueira, que foi morto juntamente com esposa e filhos. Segunda a família eles moraram juntos na mesma residência por 4 meses e posteriormente não tiveram mais contato. A Justiça espanhola tinha uma ordem de prisão aberta para Patrick, porém até então no Brasil não tinha nenhuma ordem internacional da prisão. 

No ano de 2016, François Patrick, então com 16 anos foi apreendido por esfaquear um professor no estado do Pará, em sala de aula. Por conta desse #Crime, ele cumpriu medida socioeducativa. Tentando ganhar a vida como jogador de futebol, ele mudou para Europa em março deste ano, época em que morou com o tio por 4 meses.

Entenda o caso

Em 18 de setembro o corpo do casal e das duas crianças foram encontrados pela polícia na residência onde viviam.

Publicidade

Após perceber um odor muito forte vindo da casa deles, um vizinho alertou a polícia espanhola. Na casa não havia sinal de arrombamento e a polícia se surpreendeu da forma que os corpos estavam, como se o criminoso ou criminosos tivessem intenção de retirá-los do local sem deixar vestígios.

Atualmente a linha de investigação concentra-se no jovem Patrick Gouveia, e não há nenhuma suspeita que a morte da família brasileira esteja ligada ao tráfico de drogas ou crime organizado. Pessoas que trabalharam com o pai da família informa que ele tinha hábito de pedir dinheiro emprestado e não pagar, mas essa linha não está sendo o foco das investigações. #Polícia Federal