Em agosto desse ano, um assalto a uma joalheria em um shopping na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, chamou atenção da polícia. Durante a ação, que durou não mais do que dez minutos, os bandidos conseguiram levar mais de 4 milhões de reais em jóias. A Polícia Civil começou a investigar o caso através das imagens geradas pelas câmeras de segurança de dentro do estabelecimento. Nas cenas aparecem dois homens um vestindo uma peruca e o outro um boné branco, eles escondem o rosto e por isso a identificação estava dificultada. No entanto, um deles aparece falando ao celular por duas vezes, cruzando os dados do horário e as torres telefônicas na região do shopping, a polícia conseguiu através da empresa de telefonia, interceptar seja o número do assaltante quanto os outros dois números para o quais ele ligou.

Publicidade
Publicidade

O que se descobriu através do Ministério Público e a Polícia Civil do Rio de Janeiro foi uma verdadeira quadrilha que envolvia mais de vinte pessoas.  Além desses telefones, outros tantos foram interceptados e as ligações em que os bandidos planejavam os crimes foram ouvidas. Chegou-se a conclusão que os assaltantes tinham uma associação com traficantes que lhes forneciam armas, carro para a fuga, abrigo após os crimes, e em troca cerca de metade do valor era repassado aos líderes do tráfico.

Os ladrões entravam com a mão de obra do #Crime. Nas ligações fica claro a ligação e associação criminosa e que muitos assaltos foram realizados esse ano. Além disso, os traficantes e assaltantes, supervisionavam a ação da polícia, sabendo dizer exatamente onde as viaturas estavam e se havia algum impedimento para cometer o crime, ou se eles corriam algum risco.

Publicidade

Uma infinidade de assaltos foram realizados em joalherias, postos de gasolina, e estabelecimentos que movimentavam uma quantia enorme de dinheiro. No assalto gravado em agosto é impressionante a velocidade e o planejamento da ação, além do volume de dinheiro roubado em tão pouco tempo.

Em uma das últimas ligações interceptadas, a polícia conseguiu saber o local e a hora em que uma outra joalheria iria ser assaltada. Os agentes da PM e polícia Civil chegaram antes de o crime acontecer e prenderam três dos acusados. Outros três participantes da quadrilha também foram presos essa semana, e nove dos envolvidos já identificados. O líder do grupo aparentemente é o ladrão que aparece de peruca nas gravações, ele é conhecido como Cubano e vem sendo procurado pela polícia.

A Polícia Civil promete continuar as investigações e parar a ação da organização criminosa que comete crimes quase que diariamente.

#Investigação Criminal