Na manhã deste sábado, 01, o ativista Renê Silva foi detido pela Polícia Militar quando filmava uma ação na 'Favelinha da Skol', no Rio de Janeiro. As informações foram passadas pelo perfil oficial da 'Voz da Comunidade', no Twitter. Renê não foi o único que faz parte do projeto de comunicação voltado a moradores do Complexo do Alemão que foi preso. O perfil diz que o jovem Renato Moura também foi levado por agentes da lei. Até o fechamento desta reportagem, por volta das 14h25 no horário de Brasília, a polícia ainda não havia confirmado os motivos que levaram os jovens a serem detidos. Segundo 'A Voz da Comunidade', a ação da PM na desocupação de uma região na 'Favelinha da Skol' estava sendo truculenta e os policiais não queriam que os jovens filmassem o que estava acontecendo.

Publicidade
Publicidade

O perfil ainda diz que a polícia fez pressão psicológica em Renê Silva.

Não demorou muito para que famosos se mobilizassem nas redes sociais. A autora de novela Glória Perez, conhecida por fazer 'O Clone', 'Caminho das Índias', entre outras produções, foi uma das primeiras a se posicionar sobre o que acontecia no Rio de Janeiro. Ela usou seu perfil oficial no Facebook para declarar: " foi preso porque filmou uma ação policial! algum advogado aqui pra acudir o René? está na 22a DP , na Penha!".  Veja abaixo o post feito pela autora:

Também de acordo com o perfil de 'A Voz da Comunidade', o material de trabalho do grupo foi quebrado pelos agentes da lei. Apesar de Glória Perez ter dito que Renê foi levado para a delegacia da Penha, ele, na verdade, acabou indo parar na 45ª DP, localizada no próprio Complexo do Alemão. "Fomos informados que eles estão sofrendo pressão psicológica! Estamos na 45DP e ninguém está podendo entrar!", diz o perfil que serve de fonte para diversos veículos de comunicação. 

Representantes da Anistia Internacional e a Defensoria Pública foram até a delegacia do Alemão para tentar a soltura do ativista.

Publicidade

Uma foto de Renê conversando na delegacia também foi publicada nas redes sociais. Ele continuava detido até o fechamento da matéria. 

#Crime